terça-feira, 27 de dezembro de 2022

INSS: ligar de celular para a central 135 será grátis a partir de fevereiro


 
Foto: Reprodução
A central telefônica do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) contempla não só os aposentados e pensionistas, mas todos os cidadãos em geral. Por isso, o Telefone do INSS (135) é um dos canais mais utilizados.
Todavia, atualmente são gratuitas apenas as ligações feitas por telefone fixo. Quem liga para o 135 usando um celular, precisa pagar o preço de uma ligação local. A intenção do Ministério do Trabalho e Previdência é que isso mude.
No último dia 22 de dezembro, a autarquia assinou o contrato com a Claro S.A. para oferecer atendimento gratuito às ligações feitas a partir de telefone fixo e também de telefone celular. 

O contrato com a Claro terá duração de 12 meses, podendo ser renovado até o máximo de 60 meses. A prestação do serviço de gratuidade terá início no final do mês de fevereiro.


O que é a central 135 do INSS?
A Central de Atendimento 135 foi criada com o propósito de ampliar o acesso da população aos serviços do INSS. Assim, é um canal de atendimento por telefone que funciona de segunda à sábado, das 7 às 22 horas – horário de Brasília.

Atualmente, por ser considerado um serviço de utilidade pública, as ligações efetuadas, a partir de telefones fixos para o número 135, são gratuitas. Contudo, a partir do celular é cobrada a tarifa de custo de uma ligação local. E é exatamente isso que o Ministério da Previdência quer mudar.

Atendimento pelo telefone do INSS
Conforme no início deste leitura, qualquer beneficiário do INSS pode receber um atendimento através da ligação para o número 135. Por esse canal, é possível ter acesso a qualquer serviço que seja referente ao titular do CPF com ligação à Previdência Social.

Quais dados são necessários para o atendimento?
Assim como na maioria dos atendimentos telefônicos, é importante ter fácil acesso a alguns documentos para identificação na central, como por exemplo:

CPF;
Número de inscrição na Previdência Social;
Número do NIS/PIS ou NIT;
Número do Benefício;
CNPJ/CPF do empregador.

Com informações do site: jornalcontabil

Nenhum comentário:

Postar um comentário