sexta-feira, 14 de janeiro de 2022

INSS muda regras do consignado e aumenta valor das aposentadorias neste mês


 
Foto: Reprodução

Aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) devem estar atentos as novas regras adotadas pela Previdência a partir deste mês. Dois grandes exemplos, e que trarão fortes impactos, são o novo limite de margem do empréstimo consignado e o valor reajustado das aposentadorias.

Outros pontos também devem ser observados, como: os novos prazos da prova de vida, e o calendário de pagamentos que começa a partir do dia 25 deste mês.

Consignado do INSS

Até dezembro de 2021 as regras para contratar empréstimo consignado continha mais benefícios. Os aposentados e pensionistas tinham a disposição uma margem de 40% para crédito pessoal e mais 5% para uso do cartão de crédito consignado.

Estas regras acabaram no dia 31 de dezembro, e já a partir deste mês de janeiro começam os novos limites para as contratações. Isso significa que quem contratou um empréstimo até o fim do último ano ainda vai contar com os prazos daquela época.

Mas, afinal, o que muda no bolso do aposentado e pensionista? Os novos limites aplicados serão de:

35% do limite para crédito pessoal;
5% para uso do cartão de crédito.

Para entender melhor, se o salário de aposentadoria do cidadão é de R$ 3.000 ele vai poder comprometer no crédito consignado até R$ 1.050, ou seja, 35% do que recebe mensalmente.

Os bancos costumam oferecer ofertas especiais nestes casos porque as chances de não receber pelo dinheiro emprestado são muito baixas. Uma vez que o valor das parcelas são descontadas diretamente no salário do cidadão, o que garante o pagamento ao banco.

Mas atenção aos juros, com a entrada do novo ano este fator também foi alterado. Agora, a cobrança passa de 1,8% ao mês no empréstimo para 2,14%. E no cartão saí de 2,7% para uma taxa de 3,06% ao mês.

Reajuste das aposentadorias

Foi anunciado nesta terça-feira, 11, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) que reajustou o valor de salário e aposentadorias do INSS. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) é o responsável por medir este resultado.

De acordo com os registros, a inflação ficou em 10,06% e foi a responsável por alterar o valor dos pagamentos do INSS que ficarem acima do salário mínimo. Hoje, o piso na Previdência é de R$ 1.212, e com o acréscimo o teto passa a ser R$ 7.087,22. 

Os pagamentos de quantias superiores ao piso começam a partir de 1° de fevereiro, antes recebem aqueles com ganhos de no máximo um salário mínimo.

O reajuste de 10,06% embora tenha ficado abaixo do 10,18% aplicado ao piso federal, ainda é maior que a atualização feita em 2021 quando as aposentadorias foram reajustadas em 5,45%.

Por lei, aposentadorias, auxílio-doença, auxílio-reclusão e pensão por morte não podem ser pagas em valor inferior ao salário mínimo federal. 

O FDR preparou uma tabela simulando os novos valores de aposentadorias a partir deste ano, considerando o INPC anunciado. Confira:



Consultas no Meu INSS

Tanto o seu novo valor de salário como os empréstimos e créditos que são contratados em seu nome, podem ser consultados pelo Meu INSS. Para isso, basta fazer login no aplicativo ou site.

A consulta fica disponível para que o aposentado e pensionista consiga inclusive se prevenir de algum tipo de golpe. Por lá, o extrato da conta salário pode ser consultada. E caso perceba qualquer alteração de valores, o segurado pode entrar em contato com o Instituto.

Veja como fazer seu acesso:

Insira seu CPF e senha;
Para primeiro acesso clique em “Criar login” e preencha todas as etapas de ficha cadastral;
Em seguida, ao abrir o portal, selecione “Extrato previdenciário”;
O documento vai informar toda a movimentação da sua conta, como: novo saldo, valor de desconto por empréstimo, parcela da pensão e etc.



Com informações do site: fdr