domingo, 26 de dezembro de 2021

Devo desistir da aposentadoria no INSS?


 
Foto: Reprodução

Devo desistir da aposentadoria no INSS? Segurado pode abrir mão do beneficio do INSS, desde que não tenha sacado nada.

O segurado do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) que discorda do valor informado na carta de concessão do seu benefício pode abrir mão dele para tentar uma renda melhor, mas é preciso ficar atento para não ficar no prejuízo.

A qualquer momento, é possível desistir do pedido de aposentadoria, desde que o segurado não saque o primeiro pagamento depositado pelo INSS nem os recursos do FGTS (Fundo de Garantia) ou do PIS. Se alguma retirada for feita, só será possível tentar melhorar a renda por meio de uma revisão administrativa ou na Justiça dentro dos dez primeiros anos do benefício.

Já em caso de desistência da aposentadoria, o processo de requerimento do benefício concedido será arquivado, e o segurado poderá aguardar a data que lhe garantir a regra mais vantajosa para entrar com novo pedido de aposentadoria. Lembrando que, se o valor concedido for igual ao teto previdenciário (R$ 6.433,57, em 2021), não há como aumentar a renda.

“Recomenda-se a desistência quando não é caso de erro do INSS, mas concessão de uma aposentadoria diferente daquela que você deseja. Quando o segurado tinha aquela possibilidade de se aposentar, naquelas regras em que foi concedida a aposentadoria, mas o segurado quer aguardar uma aposentadoria melhor em outra regra, cujos requisitos serão implementados depois”, afirma a advogada Priscila Arraes Reino.

Quando há erro de cálculo do INSS é preciso pedir uma revisão, para que os documentos e períodos que não foram considerados sejam analisados. Desistir da aposentadoria neste caso pode levar a uma significativa perda financeira em atrasados, que são as diferenças do valor que deveria ter sido pago desde a DER (Data de Entrada do Requerimento).

A advogada Carolina Centeno exemplifica: um cliente a procurou após ter desistido da aposentadoria concedida. Porém, ele já havia recebido o melhor benefício, só havia um erro no cálculo. Ao abrir mão da primeira aposentadoria, ele alterou a DER e deixou de receber mais de R$ 80 mil em atrasados.

Além de considerar se houve erro no cálculo do INSS, especialistas recomentam que o beneficiário avalie com cautela quanto tempo irá levar para atingir uma regra mais vantajosa e se poderá continuar trabalhando até lá.

“Ao pedir a aposentadoria sem saber quais são suas possibilidades, pode fazer o pedido de aposentadoria e ter concedida em valor menor do que a que teria direito caso aguardasse poucos meses. Nesse caso, não há erro do INSS, que não é obrigado a avisar ao segurado para aguardar a implementação dos requisitos de um outro tipo de aposentadoria com valor de renda mais significativo”, afirma Priscila.

Se optar por cancelar o pedido de aposentadoria, o segurado deve fazer o pedido pelo Meu INSS e anexar documentos que comprovem que não houve saque do benefício, do FGTS e do PIS. Enquanto o INSS não homologar a desistência, não será possível pedir um novo benefício.

​QUANDO É POSSÍVEL DESISTIR DO BENEFÍCIO

O segurado não precisa aceitar o valor da aposentadoria que está na carta de concessão do INSS, após seu pedido de benefício ser liberado
Se considerar que a renda está abaixo do que havia calculado, o beneficiário pode abrir mão da renda previdenciária e fazer um novo pedido
Para isso, é preciso ficar atento ao cálculo do INSS, aos saques dos valores e à vida pessoal
A desistência pode ser feita entre o momento da liberação da carta de concessão e o recebimento do primeiro pagamento do benefício
Esse serviço não atende as pessoas aposentadas por invalidez
Para desistir do benefício o segurado não pode ter sacado:

Nenhuma parcela da aposentadoria

FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço)

PIS

QUANDO VALE A PENA DESISTIR

Benefício melhor no futuro

O segurado que perceber que o valor da sua aposentadoria ficou baixo porque não tem muito tempo de contribuição ou porque a regra de transição na qual entrou não é a melhor, por exemplo, pode não aceitar o benefício e continuar trabalhando até atingir uma regra mais vantajosa
Neste caso, basta não fazer nenhum saque, informar a desistência pelo Meu INSS e pedir o benefício depois, em ocasião melhor
Atenção!

Se houve erro no cálculo ou na contagem do INSS, não é recomendável desistir do benefício
Neste caso, o ideal é entrar com um pedido de revisão, fazendo com que o INSS avalie documentos e períodos não considerados no momento da concessão da aposentadoria
Se desistir do benefício, o segurado irá perder os atrasados que receberia na revisão desde a DER (Data de Entrada do Requerimento)

CUIDADO COM PREJUÍZOS

Antes de desistir de um benefício, avalie com critério se, no futuro, a renda será de fato melhor

Considere:

O tempo que levará até atingir a vantagem
Seu estado de saúde
Se será possível trabalhar enquanto aguarda
Quanto deixará de receber até a nova concessão
Se o benefício foi concedido integral ou parcialmente
Se já não atingiu a melhor regra do benefício

COMO DESISTIR DA APOSENTADORIA

Todo o processo da desistência da aposentadoria é feito pelo Meu INSS

Acesse o Meu INSS, com login e senha
Escolha a opção “Agendamentos/Requerimentos”
Clique em “Novo requerimento”
Digite no campo “pesquisar” a palavra “desistência” e selecione o serviço desejado
Os documentos que deve anexar ao seu pedido são:

Declaração da Caixa Econômica Federal / Banco do Brasil, informando se houve o saque do FGTS ou Pis/Pasep em seu nome
Declaração de não recebimento de créditos de benefício
Declaração da empresa informando o não recebimento do crédito, no caso de empresa acordante
Para desistir de cota de Pensão por morte ou auxílio-reclusão

Número do CPF
Número do benefício
Para desistir, é preciso informar ao INSS. Não basta deixar de sacar os valores

Caso a aposentadoria não seja sacada sem a desistência ter sido solicitada pelo segurado, o valor vai retornar ao INSS após 60 dias
Porém, o beneficiário poderá, neste caso, pedir a reativação do benefício, sem a necessidade de fazer um novo pedido de aposentadoria

ENTENDA QUANDO NÃO DÁ PARA DESISTIR DA APOSENTADORIA

Depois que o aposentado saca o benefício, não há como desistir dele, nem se quiser devolver o valor ao INSS
Se sacar, só será possível tentar aumentar a renda por meio de uma revisão administrativa ou na Justiça
Além disso, quem aceita a aposentadoria está aceitando um benefício que não pode ser mudado, pois o STF (Supremo Tribunal Federal) já definiu que não é possível desistir de uma aposentadoria já sacada para ter um benefício maior, no julgamento da chamada desaposentação
Fontes: Secretaria Especial de Previdência e Trabalho, INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), Arraes e Centeno Advocacia e Ingrácio Advocacia

Com informações do site:  mixvale