terça-feira, 30 de novembro de 2021

WhatsApp: conexão sem o celular já pode ser feita


 
Foto: Reprodução
Recentemente, uma nova função que dispensa a utilização de celular para acessar a versão Web do WhatsApp foi liberada. A funcionalidade está sendo disponibilizada aos poucos para os que utilizam o aplicativo.

Após a atualização, os usuários poderão utilizar o aplicativo sem que o aparelho celular esteja conectado ao navegador. A plataforma poderá ser utilizada em até quatro computadores diferentes de forma independente.

No entanto, o dispositivo principal da conta é o celular, mas o aparelho não precisará estar como anfitrião em todas as conexões com o navegador, nem mesmo ligado para operar o mensageiro na web.

De acordo com o WhatsApp, “a implantação do recurso de acesso em múltiplos dispositivos continua vagarosamente para mais usuários”. “Este não é um lançamento oficial, mas uma continuação deste processo iniciado há alguns meses “, disse.

“Esta novidade permitirá que aqueles com seus aplicativos devidamente atualizados utilizem a plataforma em até quatro dispositivos vinculados sem exigir que seu telefone seja conectado”, continuou.

Antes do desenvolvimento da nova funcionalidade, a conexão do WhatsApp por meio do telefone para o computador era “espelhada”, o dispositivo que de fato enviava as mensagens era o smartphone.

Desta forma, o aparelho que era o responsável pela função de criptografia, que assegura ainda mais as mensagens.  Por isso, quando o celular é desconectado da internet ou fica sem bateria, por exemplo, não é possível continuar usando o mensageiro pelo computador.

Versão web atualmente
Agora, o WhatsApp vai usar um sistema para sincronizar as mensagens entre o celular e outros dispositivos conectados, de forma que o aplicativo seja multioperacional. Para que o mensageiro seja utilizado via web, ainda será necessário scanear o código QR para a conexão inicial.

No entanto, ainda será necessário realizar alguns passos para vincular o WhatsApp do celular para a Web ou Desktop. Bastará desbloquear o dispositivo biometricamente (com reconhecimento facial ou impressão digital). A intenção é evitar os acessos indesejados que possibilitam a clonagem e roubo de contas.


Com informações do site: NOTÍCIAS CONCURSOS