quarta-feira, 24 de novembro de 2021

Novo plano da Petrobras: companhia pretende acelerar extração de petróleo antes de conversão para renováveis


 
Foto: Reprodução

A Petrobras pretende acelerar a extração do pré-sal antes da possível transição energética. A companhia busca reduzir os impactos que possam acontecer pela mudança para uma economia de baixo carbono. A informação, sobre o novo plano da Petrobras, foi levantada pela Reuters, por meio de duas fontes.

De acordo com a Reuters, o próximo plano de negócios plurianual da estatal deverá incluir investimentos de US$ 60 bilhões a US$ 70 bilhões. O projeto faria com que a companhia voltasse a aumentar o Capex — com destaque na produção e exploração do petróleo do pré-sal.

A agência de notícias informa que a divulgação plano 2022-2026 deverá acontecer na próxima quinta-feira (25). O projeto está em fase final de produção.

No entanto, os números representam uma elevação em relação ao programa anterior de US$ 55 bilhões — de 2021-2025. No ano passado, a estatal reduziu 27% na perspectiva de aportes plurianuais. O intuito foi de manter o caixa em meio à pandemia de covid-19.

Segundo revelado por uma fonte, na condição de anonimato, a Petrobras “pode avançar nessa direção”. Essa pessoa revela que a companhia tem “pressa no pré-sal”.

Uma segunda fonte destaca que a empresa necessita acelerar a retirada do pré-sal, por conta da possibilidade de transição energética. Desse modo, a companhia poderia atenuar os efeitos de uma transição para uma economia de baixo carbono.

Novo plano da Petrobras não deve impactar as métricas de endividamento
Conforme a primeira fonte, o crescimento dos investimentos não deverá causar mudanças nas métricas de endividamento. Esse cidadão alega que a meta de dívida bruta da Petrobras deverá “gravitar” em cerca de US$ 60 bilhões.

No terceiro trimestre, a estatal registrou uma queda na dívida bruta para US$ 59,6 bilhões. Com isso, a empresa, antecipadamente, alcançou a meta para 2022.

Ao anunciar os resultados financeiros desse trimestre, a Petrobras alegou que o cumprimento desse objetivo demonstra “o compromisso da companhia com uma gestão técnica e equilibrada”. Em 2014, a dívida da estatal havia chegado a mais de US$ 130 bilhões.

Ainda segundo as fontes, o plano da Petrobras aponta uma preocupação com a “pegada de carbono” da empresa. A proposta deverá focar em preservação de áreas verdes e reflorestamento.


Com informações do site:  fdr