segunda-feira, 8 de novembro de 2021

Meu cadastro foi aceito para receber o Auxílio Brasil? Veja como verificar


 
Foto: Reprodução

Auxílio Brasil é concedido a quem estiver inscrito no Cadastro Único

O Auxílio Brasil substituiu o Bolsa Família, que em novembro vai pagar um valor médio de R$ 220. O desejo do governo era começar já pagando os R$ 400, mas não havia recursos suficientes, adiando para dezembro o novo valor. Neste mês será pago um reajuste de 17,84%.


O governo está esperando o Congresso aprovar a PEC dos precatórios que irá custear o aumento de R$ 400 no Auxílio Brasil. Também a previsão é que a partir de dezembro sejam atendidas 17 milhões de famílias.

Como saber se o cadastro foi aceito?

Como todo programa social do governo federal, o Auxílio Brasil é concedido a quem estiver inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) ou estar com os seus dados atualizados.

O cidadão também precisará cumprir os seguintes requisitos:

A família precisará ter uma renda mensal de meio salário mínimo (R$ 550 em 2021) e renda mensal total de três salários mínimos (R$ 3.300 em 2021). Quem já estava recebendo o Bolsa Família não precisará fazer novo cadastro, pois os beneficiários serão migrados automaticamente para o Auxílio Brasil.

Para você saber se sua família está cadastrada ou precisa atualizar os dados no CadÚnico, basta acessar as informações através do aplicativo Meu Cadastro Único, quando será possível saber se seus dados estão desatualizados ou em processo de averiguação. O aplicativo permite que você imprima o comprovante.

Para quem não tem acesso a internet, precisará ir a um Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) ou a um posto de atendimento do Cadastro Único (CadÚnico).


Fique atento

Quem não estiver com os dados atualizados será excluído do registro do Cadastro Único (CadÚnico) depois de quatro anos. Isso porque o governo realiza uma revisão anual dos dados dos cidadãos inscritos no CadÚnico. Ao verificar que faltam informações nos dados da pessoa, o governo convoca a família para que faça a devida atualização no registro. No entanto, algumas pessoas esquecem o compromisso que assumem ao fazer sua inscrição no Cadastro Único, se comprometendo a cada dois anos atualizarem seus dados.

Para fazer a atualização será necessário comparecer ao CRAS de sua cidade ou a um posto de atendimento do CadÚnico. Os dados devem ser atualizados sempre quando você troca de endereço, número de telefone, de estado civil, de renda mensal, ou em eventos de nascimento ou falecimento na família. Os dados devem ser atualizados o mais rápido possível.


Como fazer para se inscrever no Cadastro Único

O município promove visitas domiciliares às famílias de baixa renda periodicamente para efetuar o cadastramento. Mas a família que se enquadrar nos requisitos exigidos e ainda não estiver inscrita no Cadastro Único, pode procurar um CRAS – Centro de Referência em Assistência Social no município e solicitar o cadastramento.

Exigências para poder se cadastrar:

Ter uma pessoa responsável pela família para responder às perguntas do cadastro. Essa pessoa deve fazer parte da família, morar na mesma casa e ter pelo menos 16 anos.

Para o responsável pela família, de preferência uma mulher, é necessário o CPF ou Título de Eleitor.
Exceção: no caso de responsável por famílias indígenas e quilombolas, pode ser apresentado qualquer um dos documentos abaixo. Não precisa ser o CPF ou o Título de Eleitor.

Apresentar pelo menos um documento de todas as pessoas da família:

Certidão de Nascimento;
Certidão de Casamento;
CPF;
Carteira de Identidade (RG);
Certidão Administrativa de Nascimento do Indígena (RANI);
Carteira de Trabalho; ou
Título de Eleitor.
Levar um comprovante de endereço, que pode ser conta de água ou luz. Não é obrigatório apresentar, mas ajuda no preenchimento do endereço.

Com informações do site:  macajubaacontece