segunda-feira, 22 de novembro de 2021

Fim do auxílio emergencial! Outros programas do governo ainda podem ser pagos


 
Foto: Reprodução
O Auxílio Emergencial deixou de ser pago pelo governo federal em novembro, para dar lugar a um outro benefício, o Auxílio Brasil. Apesar disso, os brasileiros podem solicitar outros tipos de benefícios que lhe ajudarão no complemento de renda.

Auxílio Emergencial
O auxílio foi criado na pandemia como forma de ajudar os brasileiros que foram afetados, sendo demitidos de seus empregos, autônomos, que precisaram interromper as suas atividades por conta da pandemia causada pelo novo coronavírus.

Inicialmente, seriam pagas apenas cinco parcelas e o valor seria de acordo com a composição familiar. Porém, por conta do recrudescimento da pandemia, o governo definiu que iria realizar o pagamento por mais dois meses, ou seja, até outubro de 2021.

Com o início de um novo programa, pelo menos 22 milhões de pessoas que estão no emergencial foram excluídos do auxílio Brasil.

Como participar de outros programas?
Aqueles que são inscritos no Cadastro Único (CadÚnico), um sistema do governo que reúne todas as informações socioeconômicas dos brasileiros, inscritos neste programa podem ter acesso a benefícios pagos pelo governo como Bolsa Família,Auxílio Brasil e entre outros.

Quem pode se inscrever no CadÚnico?
Famílias com renda mensal de até meio salário mínimo por pessoa (R$ 550);
Famílias com renda mensal total de até três salários mínimos (R$ 3.300);
Famílias com renda maior que três salários mínimos, desde que o cadastramento esteja vinculado à inclusão em programas sociais nas três esferas do governo;
Pessoas que moram sozinhas – constituem as chamadas famílias unipessoais;
Pessoas que vivem em situação de rua — sozinhas ou  com a família.

Como se inscrever no Cadúnico?
Os cidadãos que podem receber o benefício podem fazer a solicitação e podem ir até um Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) é o centro de atendimento em que se realiza o cadastro no CadÚnico.

O beneficiário deve buscar o Cras mais perto da sua casa. Neste período de isolamento social, o atendimento presencial está sendo realizado com horário agendado.

Podem fazer parte do cadastro: o requerente, o cônjuge ou companheiro, os pais e, na ausência de um deles, a madrasta ou padrasto, os irmãos solteiros, os filhos e enteados solteiros e os menores tutelados, desde que vivam no mesmo endereço. Documentos de toda família devem ser levados para realização do c

Documentos para inscrição no CadÚnico 
A documentação necessária para realizar a sua inscrição é:

Certidão de Nascimento;
Certidão de Casamento;
CPF;
Carteira de Identidade – RG;
Carteira de Trabalho;
Título de Eleitor;
Registro Administrativo de Nascimento Indígena (RANI) – somente se a pessoa for indígena.

Benefícios liberados a partir do Cadastro Único
Os benefícios que podem ser recebidos por meio do CadÚnico são:

​​Programa Auxílio Brasil
 Programa Minha Casa, Minha Vida
 Bolsa Verde – Programa de Apoio à Conservação Ambiental
 Programa de Erradicação do Trabalho Infantil – PETI​
 Fomento – Programa de Fomento às Atividades Produtivas Rurais
Carteira do Idoso;
Aposentadoria para pessoa de baixa renda;
Programa Brasil Carinhoso;
Programa de Cisternas;
Telefone Popular;
Carta Social;
Pro Jovem Adolescente;
Tarifa Social de Energia Elétrica;
Passe Livre para pessoas com deficiência;
Isenção de Taxas em Concursos Públicos;
Auxílio Gás.

Além disso, os Estados e municípios também utilizam os dados do Cadastro Único como base para seus programas sociais.​

Como atualizar o cadastro?
É preciso que o cadastro seja atualizado a cada 2 anos ou sempre que houver alguma mudança no grupo familiar, seja de endereço, número de membros, renda, trabalho, entre outros.

Para isso, a família deve procurar o Setor Responsável pelo CadÚnico ou pelo Bolsa Família em sua cidade e fazer uma nova entrevista

Em alguns municípios oferecem os serviços de cadastramento e atualização cadastral nos Centros de Referência de Assistência Social  (Cras).

Com informações do site: FDR