terça-feira, 9 de novembro de 2021

Coordenador do CadÚnico de União esclarece dúvidas sobre o Auxílio Brasil


 
(Foto: Reprodução)
Única fonte de renda para milhões de famílias, o Bolsa Família está oficialmente extinto a partir desta segunda-feira (08/11). A decisão integra a Medida Provisória nº 1.061, de 9 de agosto de 2021, que regulamenta a criação do Auxílio Brasil.

No entanto, ainda há muitas indefinições sobre como será o funcionamento do novo programa de transferência de renda, que o governo federal prevê começar a pagar no próximo dia 17 de novembro, seguindo o calendário do “antigo Bolsa”.

Com o intuito de sanar dúvidas sobre o Auxílio Brasil, o BR104 procurou o coordenador da Central de Programa Social (Cadastro Único) de União dos Palmares, Marcos Jonas da Silva, que, por meio de nota, esclareceu alguns pontos sobre o novo benefício social.

Confira a nota na íntegra:

A Prefeitura de União dos Palmares, por meio da Secretaria de Assistência Social, vem tornar público o que é do nosso conhecimento a respeito novo programa do Governo Federal, o “Auxílio Brasil”, programa de transferência de renda que substitui o Bolsa Família.

Para quem recebia o Bolsa Família, o pagamento do Auxílio Brasil será automático e seguirá o calendário habitual do programa anterior, com início para 17 de novembro, segundo o Governo Federal.

Entre as principais mudanças, destacam-se as classificações de famílias em extrema pobreza e em situação de pobreza. Foi realizado um reajuste de 17% no valor do benefício, que era anteriormente pago pelo programa Bolsa Família.

Previsto para ser lançado a partir do próximo dia 17 de novembro, o programa prevê, como comunicado no Decreto 10.851, de 5 de Novembro de 2021, entre outras coisas, benefícios para pessoas em estado de pobreza ou extrema pobreza. No primeiro caso, as unidades devem ter renda por pessoa de R$ 200,00. Já no segundo (extrema pobreza), as famílias precisam ter renda de R$ 100,00 por pessoa. Esses valores ampliam o número de beneficiários, haja vista que, anteriormente, para ser considerado de extrema pobreza, era preciso uma renda por pessoa na família de R$ 89,00. Para situação de pobreza, R$ 178,00.

Com as mudanças, o benefício médio passa de R$ 184,00 para R$ 217,00. Nesse contexto, o governo afirma que esses reajustes são temporários, uma vez que o objetivo é chegar à casa dos R$ 400,00.

Entre as dúvidas mais comuns as pessoas perguntam: Recebo pelo Bolsa Família. Preciso fazer algo para receber o Auxílio Brasil? Não! Todos os 14,6 milhões de beneficiários do programa de transferência de renda vão receber o Auxílio Brasil de forma direta.

Outra informação passada pelo Governo Federal através do Ministério da Cidadania, é de que a fila será zerada e mais de 17,2 milhões de famílias serão beneficiadas. A Secretaria de Assistência Social ainda aguarda do Ministério da Cidadania todos as portarias e decretos que possam trazer esclarecimentos sobre as principais dúvidas dos cidadãos e dos nossos técnicos. Outras dúvidas sugerimos consultar o site do Governo Federal confira em gov.br/auxiliobrasil.

Com informações do site: BR104