quinta-feira, 25 de novembro de 2021

Conselho aprova novo orçamento para FGTS até 2025 e deve movimentar setor de construção civil


 
Foto: Reprodução

O Conselho Curador do FGTS aprovou o orçamento operacional do fundo para o ano de 2022, além do plano plurianual de aplicação para o período de 2023 a 2025.

As propostas foram encaminhadas pelo governo federal, por meio do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) — que é o gestor da aplicação dos recursos, e referendadas pelo Conselho, durante reunião ordinária.

Até 2025, a estimativa é que o aporte possibilite a contratação de 2,5 milhões de unidades habitacionais. Isso acontecerá por meio do Programa Casa Verde Amarela. Por meio deste recurso, também será possível beneficiar quase 56 milhões de pessoas com obras de saneamento e infraestrutura.

O Ministério também espera que ocorra a manutenção e geração de 7,4 milhões de empregos por todo o país.

De acordo com o substituto do Ministério do Desenvolvimento Regional e conselheiro do Conselho Curador do FGTS, Daniel Moreira, o investimento previsto promoverá benefícios para a população.

As vantagens serão por meio da entrega de moradias e obras que melhoram a qualidade de vida. Ao mesmo tempo, ele destaca que será possível estimular a atividade econômica.

Moreira ressalta a importância do FGTS para a construção. Segundo ele, este foi um setor que se manteve ativo — mesmo em meio à pandemia de covid-19 — e representa um percentual considerável do Produto Interno Bruto (PIB).

Financiamento habitacional por meio do orçamento par a FGTS
De toda a quantia prevista até 2025, R$ 278 bilhões serão direcionados a financiamentos para a construção de novas residências.

Outros R$ 34 bilhões serão destinados para a concessão de descontos nos financiamentos para a compra da compra própria, a pessoas físicas, com renda mensal de até R$ 4 mil. Para essa modalidade, houve um incremento de R$ 4,5 bilhões.

Com relação às obras de saneamento, poderá haver a captação de até R$ 19,7 bilhões. Enquanto isso, outros  R$ 25,2 bilhões que serão direcionados aos empreendimentos de infraestrutura urbana.

Com informações do site: FDR