terça-feira, 30 de novembro de 2021

Como é possível cancelar uma compra pela internet e receber estorno


 
Foto: Reprodução
Em época de promoções, tais como a Black Friday e datas de maior consumo como o Natal e Réveillon, as vendas aumentam significativamente no e-commerce, ou seja, pela internet. Mas, muita gente acaba comprando “gato por lebre” e alguns produtos podem chegar diferentes do que foi anunciado ou até mesmo apresentando algum vício de fábrica, que são defeitos.

Também pode acontecer de uma compra ser feita por impulso e, consequentemente, o cliente desistir. A pergunta que muita gente faz é a seguinte: como posso cancelar e receber de volta o valor? Para essa pergunta recorremos, sobretudo, ao que diz o código do consumidor.

No Código de Defesa do Consumidor, o artigo 49 informa que, nas compras efetuadas fora de um estabelecimento físico, o cliente tem o direito de desistir da compra em até sete dias úteis. Assim, esse período passa a valer a partir do recebimento do produto ou assinatura do contrato de compra e venda.
 
Essa medida não exige nenhuma explicação por parte do cliente. Trata-se de um direito amparado na lei. Se o cliente não conseguir contato com quem lhe vendeu o produto, o dispositivo da lei permite a realização do cancelamento diretamente com a operadora do cartão de crédito, caso tenha sido essa a modalidade de pagamento.

Pedido de cancelamento por desistência
O cliente pode acionar a empresa que lhe vendeu por meio dos canais de atendimento. As grandes empresas possuem mecanismos de comunicação chamados de SAC (Serviço de Atendimento ao Cliente). O Chatbox é um dos meios mais utilizados pelas empresas para esses atendimentos, mas pode ocorrer também por telefone, e-mail e plataforma de mensagens instantâneas como WhatsApp.

A empresa pode negociar de forma amigável e mais humana com o cliente, que pode estar no prazo de desistência, ou receber um produto que veio com defeito ou diferente do que se imaginava pela publicidade. Se a empresa não for solícita com o cliente, é possível recorrer a sites de proteção ao consumidor.
 
Um deles é o “Reclame Aqui”. O cliente registra uma situação como uma espécie de queixa e o site deverá manter contato para responder e tentar solucionar o problema. Mesmo após fazer tudo isso e não obter resultado do estorno do valor, o cliente poderá apelar para uma ação no Procon. Tanto nas agências físicas quanto no site da instituição é possível realizar a abertura de um processo.

O governo federal ainda disponibiliza o portal “Consumidor”, que reúne as reclamações e queixas contra empresas que não observaram os direitos garantidos no Código de Defesa do Consumidor.

Com informações do site: TUDO BAHIA