terça-feira, 9 de novembro de 2021

CNIS ajuda na simulação de novas aposentadorias do INSS


 
Foto: Reprodução

CNIS ajuda na simulação de novas aposentadorias do INSS O Cadastro Nacional de Informações Sociais (CNIS) pode estar errado e prejudicar

o planejamento da aposentadoria, explica o advogado Hilário Bocchi Junior, do escritório de advocacia Bocchi.

Banco ou Bando de dados

A Controladoria-Geral da União (CGU) identificou que o Cadastro Nacional de Informações Sociais (CNIS), que é a base de dados mais utilizada para programar aposentadoria, está sendo acessado por pessoas que não deveriam acessá-lo.

O advogado Hilário Bocchi Junior alertou bem antes da divulgação desta auditoria que as informações que estão neste extrato podem ser alteradas pela Previdência, e isso gera insegurança, auxiliar ou arruinar a vida do trabalhador.

Simulação de aposentadoria

O INSS utiliza esta base de dados para decidir se o trabalhador tem direito ao benefício e calcular o valor dele.

Se o CNIS estiver errado o trabalhador pode ter o benefício negado, mas pior que isso é ter o benefício concedido indevidamente e, posteriormente, ter o benefício cancelado e ter que devolver os valores recebidos.

Calculadora incompleta

A calculadora do INSS, além de ser vulnerável, é incompleta.

Ela não simula aposentadoria especial, nem de Pessoas com Deficiência (PcD).

Além disso não faz a conversão do tempo especial em comum.

O trabalhador pode contar com muitas calculadoras que estão na internet. Eu até fiz uma e deixei no meu site, assim o trabalhador pode simular a aposentadoria, explica o advogado Hilário Bocchi Junior.


Com informações do site:  mixvale