segunda-feira, 29 de novembro de 2021

Aposentados e pensionistas do INSS: saiba como escapar dos golpes


 
Foto: Reprodução

Não é de hoje que pessoas de má fé tentam aplicar golpes em aposentados e pensionistas do INSS. Por terem idade mais avançada, os aposentados são alvos fáceis para os golpistas. Há, inclusive, quadrilhas especializadas para tentar tirar dinheiro deste grupo.

Muitas dessas fraudes têm origem no vazamento de dados, problema que, inclusive, já foi reconhecido publicamente pelo próprio INSS. Com as informações, as quadrilhas já têm os contatos das vítimas e sabem exatamente os benefícios que elas recebem. Assim, os criminosos conseguem passar mais credibilidade aos alvos, o que facilita a fraude.

Outro problema é quando os bandidos utilizam os dados para contratar empréstimos consignados em nome dos aposentados.

Quais os golpes mais aplicados?
Dentre os mais comuns estão:

Empréstimo consignado – Os golpistas conseguem os dados dos segurados do INSS e utilizam essas informações para contratar empréstimos consignados sem autorização da vítima O dinheiro do empréstimo vai direto para a quadrilha.

Para se proteger, há uma opção para que o beneficiário bloqueie a contratação de empréstimos consignados que pode ser acionado no aplicativo ou site Meu INSS. Se o aposentado quiser optar por contratar um consignado, o mais indicado é procurar a instituição financeira por meio de seus canais oficiais de atendimento ou vá a uma agência

Golpe dos atrasados – Passando-se por advogados, os criminosos enviam uma carta a um segurado do INSS informando que ele tem um dinheiro a receber valores atrasados. No texto é informado que, para receber o dinheiro, a vítima deve, primeiro, fazer um depósito aos supostos advogados; o pagamento seria para arcar com as custas processuais.

Se você nunca teve relacionamento com os supostos advogados que assinam o material, ignore a carta e entre em contato com o INSS


Aumento na aposentadoria ou benefício por meio de revisão – Os golpistas fingem ser advogados e dizem que há uma possibilidade de o segurado ter um aumento no valor do benefício que recebe, por meio de algum tipo de revisão. Em troca, pedem dinheiro ou estimulam a vítima a passar dados pessoais e ligados ao benefício

Se acredita estar recebendo uma aposentadoria com valor menor e quer pedir uma revisão, busque um advogado de confiança. No site Meu INSS, é possível que o segurado faça o próprio pedido de revisão

Falso pente-fino – Uma pessoa da quadrilha liga para a vítima e diz ser funcionária do INSS. O fraudador diz que está sendo feito um pente-fino e que o segurado deve pagar uma certa quantia para evitar ter suspensão ou corte do benefício. Também são feitos golpes semelhantes envolvendo perícias ou cumprimento de exigências.

Pois fique sabendo que o INSS nunca liga para os segurados para pedir dados ou dinheiro. Se receber uma ligação desse tipo, desligue imediatamente

Falsos e-mails –  As quadrilhas criam um e-mail falso se passando por um canal oficial do INSS e enviam mensagens para as vítimas, informando que há algum problema envolvendo o benefício. A mensagem apresenta um link no qual o segurado é estimulado a clicar a fim de solucionar o suposto problema. Ao clicar nesse link, a vítima tem os dados roubados e, em posse dessas informações, os criminosos podem cometer uma série de fraudes.

Para se prevenir, não clique em nenhum link que receber por email. Caso tenha dúvidas sobre a veracidade da mensagem, ligue para o telefone 135, do INSS, ou entre no Meu INSS.

Você caiu no golpe? O que fazer?
Para quem caiu neste golpe, a orientação é fazer boletim de ocorrência e procurar o banco onde o empréstimo foi realizado para tentar recuperar o valor. Se o pagamento não sair administrativamente, o segurado pode acionar a Justiça, afirma o especialista.


Os segurados podem fazer um bloqueio na contratação desse tipo de empréstimo por meio do portal Meu INSS.

Há outros tipos de crime, nos quais as quadrilhas se passam por advogados ou por funcionários do INSS. Nestes casos, costumam cobrar das vítimas um pagamento em troca de uma suposta vantagem ou melhoria no valor do benefício, em golpes que envolvem falsas revisões.

Se a pessoa receber mensagem ou ligação dizendo que é do INSS, a orientação é procurar os canais oficiais de atendimento e confirmar a informação. A autarquia diz que não entra em contato para pedir dados.

Denuncie o caso à Ouvidoria do INSS pela internet ou pelo telefone 135 e registre um boletim de ocorrência e comunique os órgãos envolvidos.

Com informações do site: Jornal Contábil