sábado, 9 de outubro de 2021

WhatsApp nega mudanças em suas configurações de grupos; vídeo que alerta para risco de golpes é fake


 


Foto: Reprodução

Circula novamente nas rede sociais um vídeo em que uma mulher afirma que o WhatsApp, depois de uma recente atualização, permite agora que o usuário seja adicionado a um grupo, mesmo em caso de o contato não estar salvo no aparelho celular, ou seja, um desconhecido. No entanto, o aplicativo de mensagens afirma que essa informação é falsa e que sempre permitiu que qualquer pessoa mande mensagem ou adicione um usuário a um grupo. Desde 2011, o padrão é o mesmo.

"O WhatsApp sempre permitiu que qualquer pessoa com seu número de telefone pudesse te enviar uma mensagem ou te adicionar a um grupo, assim como qualquer pessoa pode te enviar um SMS ou um e-mail caso tenha suas informações de contato. Este tem sido o padrão desde 2011, e qualquer comentário indicando o contrário é falso", afirmou.

A empresa também ressaltou que, há dois anos, fez uma atualização nos serviços para que o usuário limite essas ações, ou seja, a partir das configurações do aplicativo, ele decide se "todos" ou "apenas meus contatos" podem adicioná-lo a grupos. Essa ação, disponível na área de "Privacidade" vale para os sistemas iOS ou Android.

"Em 2019, o WhatsApp adicionou novos controles para os usuários que preferem estabelecer limites sobre quem pode adicioná-lo a grupos", reforçou.

Dicas de segurança para evitar golpes pelo aplicativo
A possibilidade de ser inserido em grupos, mesmo por desconhecidos, acende o alerta de golpes, cada vez mais comuns no WhatsApp. A empresa informou que existem diversas maneiras de se proteger dessas fraudes, como por exemplo, a configuração em duas etapas.

"Funciona como uma camada extra de segurança para as contas. Esse recurso possibilita o cadastro de um e-mail (opcional) e de um PIN de seis dígitos (obrigatório), solicitado periodicamente para o usuário e necessário para confirmar o número no WhatsApp. Este PIN, assim como o código de verificação enviado por SMS, não deve ser compartilhado com outras pessoas, nem mesmo amigos próximos ou familiares", afirmou a empresa que fez mais um alerta:

"Também é importante ressaltar que o WhatsApp não entra em contato com nenhum usuário por telefone para solicitar qualquer tipo de recadastramento de senha ou da confirmação em duas etapas".

O que diz a PSafe
Para ter mais segurança no uso do WhatApp, a PSafe, especializada em segurança digital, dá algumas dicas:

Nunca compartilhar o código de verificação, que é enviado por SMS, nem com amigos nem com parentes.
Caso receba mensagens de uma pessoa supostamente conhecida solicitando dinheiro, é recomendável entrar em contato por chamada de voz ou vídeo para confirmar a autenticidade do pedido.
Recomenda-se a ativação da confirmação em duas etapas que funciona como uma camada extra de segurança para as contas. O usuário deve acessar o menu com 3 pontinhos, "Configurações" (no Android) ou "Ajustes" (no iOS), "Conta" e "Confirmação em duas etapas".
O WhatsApp não entra em contato com os usuários proativamente por telefone para solicitar recadastramento de senha ou da confirmação em dois fatores.

O que fazer caso seja vítima de uma conta não autêntica:

Contas não autênticas (que se fazem passar por outro usuário) devem ser denunciadas. Há o canal “Denunciar” disponível no menu do aplicativo. Também é importante enviar um e-mail para support@whatsapp.com, informando sobre uma conta que esteja fazendo uso indevido de seu nome e/ou foto.

O que fazer caso tenha sua conta roubada:

Solicitar a verificação da conta via SMS — Reinstale o WhatsApp, entre com seu número de telefone e confirme o código de seis dígitos que você receberá via SMS. Qualquer indivíduo que estiver usando sua conta será desconectado.

Notificar amigos e família — Os golpistas usam sua lista de contatos para solicitar informações sigilosas e pedir depósitos em dinheiro. Se sua conta for violada, entre em contato com pessoas próximas para avisar sobre o ocorrido.

O WhatsApp ressalta que a criptografia de ponta a ponta do aplicativo não é comprometida. O golpista não tem acesso a mensagens anteriores que estão armazenadas no seu telefone.

Com informações do site: extraglobo