segunda-feira, 18 de outubro de 2021

Uber cobrará mais caro para passageiro ‘furar a fila’ e ser atendido mais rapidamente


 
Foto: Reprodução
A Uber lançou uma nova modalidade na plataforma em que o passageiro, ao pagar um valor a mais do que as viagens do UberX, consegue “furar a fila” para ser atendido mais rapidamente pelos motoristas. A novidade começou a valer ontem (15) em Campinas (SP), Curitiba (PR) e Belém (PA). Ainda não há previsão de chegada do serviço em Belo Horizonte nem em outras cidades brasileiras.

Para utilizar a nova modalidade, não é necessário baixar ou atualizar o aplicativo atual. Para solicitar uma viagem com o Prioridade, basta acessar o aplicativo da Uber, digitar os locais de início e destino da viagem e escolher a opção Prioridade. De acordo com a empresa, o custo da viagem será cerca de 20% maior que o do UberX.

A opção está disponível apenas a região central das cidades atendidas, onde a espera pelo embarque tem sido mais longa nas últimas semanas, segundo a Uber. Não há horário de funcionamento fixo do serviço, visto que o sistema acompanha a dinâmica de movimentação da cidade.

A empresa também reconhece que a tendência é de que haja um aumento ainda maior no número de solicitações de viagens no aplicativo com o final de ano se aproximando e a diminuição das restrições contra o novo coronavírus. “Como acontece no fim do ano, e com a maior flexibilização das medidas restritivas de combate à Covid-19”, escreveram, em publicação no site.

Ganhos para os motoristas
Ainda de acordo com a empresa, a medida, além de beneficiar os usuários do aplicativo com embarques mais rápidos, tem a finalidade de oferecer mais uma oportunidade de ganhos para os motoristas parceiros.
Em reportagem ao BHAZ, motoristas de Belo Horizonte e região metropolitana cobraram por melhores condições de trabalho. A realidade enfrentada pelos trabalhadores tem feito com que muitos procurem uma nova forma de sustento. Conforme os relatos ouvidos na reportagem, há um desgaste entre a Uber e os parceiros. A ausência de vínculo trabalhista e de regulamentação da atividade faz com que muitos motoristas acionem a Justiça reivindicando direitos.
Enquanto isso, o passageiro é prejudicado pela demora ou até mesmo impossibilidade de conseguir uma corrida na capital. Com isso, muitas pessoas acabaram voltando a andar de táxi – segundo o Sincavir-MG (Sindicato dos Taxistas de Minas Gerais), o estado registrou um aumento de 30% no número de corridas em agosto. Em conversa com o BHAZ, taxistas celebraram a reviravolta na procura.


Com informações do site: bhaz