sexta-feira, 29 de outubro de 2021

Novo programa destinado a desempregados vai pagar auxílio de R$ 1.000


 
Foto: Reprodução

O governo de São Paulo lançou um programa destinado a cidadãos desempregados e Microempreendedores Individuais (MEIs). O Bolsa Empreendedor foi implementado no dia 10 de setembro de 2021, e tem como prioridade atender mulheres, jovens entre 18 e 35 anos, pretos e pardos, indígenas e pessoas com deficiência.

No total, 400 mil pessoas serão contempladas pelo projeto. Cada beneficiado deverá receber uma quantia de R$ 1 mil, pagos em duas parcelas de R$ 500. No entanto, para que tenham acesso a ajuda financeira, é necessário participar de um curso gratuito de empreendedorismo do programa Empreenda Rápido.

Quem pode se inscrever?
Cerca de 100 vagas serão disponibilizadas nos próximos dias e, poderão se inscrever:

Todos os moradores dos 645 municípios do estado maiores de 18 anos, desempregados ou informais;
Cidadãos que se formalizaram em 2021 como MEI.
Como se inscrever no Bolsa Empreendedor?
As inscrições devem ser realizadas através do formulário específico disponível no site.

Além disso, os interessados também podem tirar suas dúvidas na Central de Atendimento pelo número 0800 7979 800, ou pelo WhatsApp (11) 98714-2645.

Bolsa Escola de R$ 100 começa a ser pago
O Bolsa Escola Municipal já está sendo  pago em sua quarta parcela. O projeto social atende famílias de estudantes de escolas públicas em situação de vulnerabilidade.

O programa começou a ser pago no último mês de julho. A ideia inicial era terminar esses repasses ainda em setembro, ou seja, seriam apenas três meses de pagamentos. No entanto, diante do atual cenário, foi ajustado prorrogar o programa até o final deste ano.

Os valores do projeto seguem os mesmos desta prorrogação. São parcelas que variam entre R$ 70 e R$ 100 a depender da série do aluno. Vale lembrar que esse é o patamar válido por cada estudante. Então famílias que tenham mais de um indivíduo com matrícula ativa na rede pública municipal, recebem o patamar em dobro.

Os pagamentos em questão obedecem a data de aniversário de cada um desses alunos. Por esse sistema, dá para dizer que é um formato de projeto que lembra muito o Auxílio Emergencial do Governo Federal. Para os informais, é assim que o programa social do Palácio do Planalto funciona normalmente.

Aliás, no caso do projeto de Maceió, as parcelas também são disponibilizadas através do aplicativo Caixa Tem. Esta é portanto outra semelhança com o benefício do Governo Federal. Ambos os programas possuem foco nas pessoas que estão em situação de pobreza e de extrema-pobreza neste momento.

Com informações do site: Noticias Concursos