segunda-feira, 25 de outubro de 2021

Natal e Black Friday prometem abrir vagas de emprego; saiba como buscar a sua


 
Foto: Reprodução
Com a chegada do fim do ano, vem a oportunidade de emprego em todo o país. O Natal e a Black Friday geram contratações temporárias que podem se tornar efetivas dependendo da demanda da empresa.

O país está caminhando para sair da pandemia, esse é o resultado do avanço da vacinação.

Com isso,  mercado do país estão esperando a temporada de final do ano que gera muitas vagas de emprego devido a alta procura por compras.

Onde buscar vagas de emprego

Os locais que mais contratam neste período são os shoppings, assim como os mercados. Os setores de vestuário, acessórios e calçados sempre lideram nas contratações, gerando cerca de 57 mil postos de trabalho, principalmente para vendedores e atendentes.

O diretor institucional da Alshop, Luis Augusto Ildefonso comentou sobre as expectativas para as festas de fim de ano.

“Esse é o período que o setor está mais esperando, pois mostra uma virada de chave, e acreditamos na recuperação da economia, sabemos que caminham devagar, mas a esperança e a expectativa dos associados está reacendendo. Claro que há grandes entraves como a inflação alta, custos mais altos dos insumos e a renda reduzida do consumidor, mas do ponto de vista do comércio devemos comemorar estes dados de recuperação ainda que bem tímidos“, disse.

Recuo do desemprego

No final do terceiro trimestre, a taxa de desemprego no Brasil ficou em 13,7%, porém ainda atinge cerca de 14,1 milhões de desempregados segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Essa redução representa 1 ponto percentual com relação a taxa de desemprego dos três meses anteriores, em que era registrados 14,7% de desempregados.

O dado mostra uma estabilidade em relação à taxa de desemprego em julho de 2020, que era de 13,8%.

Entre os desocupados, a queda foi de 4,6%, ou seja, de menos 676 mil pessoas, em relação ao trimestre encerrado em abril, quando o IBGE estimou o número em 14,8 milhões de pessoas.

Esses números fazem parte da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad). No levantamento anterior, referente ao trimestre encerrado em junho, a taxa de desemprego ficou em 14,1%, atingindo cerca de 14,4 milhões de pessoas.

Com informações do site: FDR