quarta-feira, 27 de outubro de 2021

Metade do orçamento do Auxílio Brasil vai para o Nordeste: saiba o porquê


 
Foto: Reprodução
A crise fiscal se instaurou no Brasil, após o governo anunciar as parcelas de R$ 400 e a inclusão de 3 milhões de beneficiários no programa Auxílio Brasil. De forma a tentar a reeleição em 2022, em torno de 50% do orçamento do novo programa vai para o Nordeste. Confira os detalhes a seguir.


Eleições 2022: Bolsonaro apela com a criação do Auxílio Brasil
Em suma, as atuais propostas do Auxílio Brasil representam um retrocesso no que o governo prometia para o Auxílio Brasil. O que aconteceu, é que o governo encontrou dificuldades ao longo dos meses, para achar fontes de financiamento capaz de suprir a nova demanda.
 
Diante disso, várias novas sugestões de ofertas de renda foram apresentadas, bem como algumas formas de custear as mesmas, as quais não foram muito bem recebidas. Agora, meses depois, a equipe técnica do governo decidiu lançar um benefício com valor duas vezes maior ao do programa atual. Além disso, aumentou a capacidade de atendimento do Auxílio Brasil.

Entretanto, desde o princípio, ficou claro que as investidas do prometido programa de transferência de renda se tratam de estratégias políticas visando um único objetivo: a reeleição de Bolsonaro. Sendo assim, engana-se quem pensa, que o movimento visa ajudar o povo brasileiro, em suas necessidades básicas.

Vale ressaltar ainda, que durante toda a sua carreira política, Bolsonaro se posicionou contra a criação e manutenção de programas sociais, como o Bolsa Família. E agora, em um ato desesperado para se reeleger, o presidente viu no Auxílio Brasil, uma forma de conquistar o apoio dos brasileiros.

50% do orçamento ao Nordeste 
Ao perceber a queda da sua popularidade nas pesquisas recentes, Bolsonaro vai concentrar 50% do orçamento do Auxílio Brasil, para a região onde tem o menor índice de aprovação: o Nordeste. Em suma, devem ser destinados em torno de R$ 36,6 bilhões em 2022, para pagar o Auxílio Brasil, nesta região.

De acordo com a Pesquisa Ipec publicada em setembro, 16% dos entrevistados nordestinos vêem a gestão de seu governo boa ou ótima. O índice é inferior aos 22% da média nacional. Por outro lado, durante a oferta do auxílio emergencial, a satisfação do povo nordestino com a gestão de Bolsonaro chegou a 33%. Sendo assim, estratégia do Auxílio Brasil é essencial para que Bolsonaro tenha alguma chance a se reeleger.

Com informações do site: SEU CRÉDITO DIGITAL