quinta-feira, 28 de outubro de 2021

Fim do auxílio emergencial 2021: o que fazer sem o benefício?


 
Foto: Reprodução

Governo Federal mantém a posição de que não haverá uma nova prorrogação do auxílio emergencial. Assim, com o avanço do calendário da sétima e última parcela do auxílio, o fim do auxílio emergencial 2021 se aproxima. Isso quer dizer que cerca de 22,6 milhões de brasileiros ficarão sem nenhum tipo de renda. 

Como o auxílio emergencial destina-se para pessoas de baixa renda, em situação de pobreza, extrema pobreza e desempregados. O fim do auxílio emergencial 2021 irá representar mais do que uma redução de renda. Para muitos brasileiros, a medida é a única renda. 

Quando será o fim do auxílio emergencial 2021?

A sétima parcela do auxílio emergencial 2021 será a última a ser paga pela Caixa Econômica Federal. A liberação das verbas que variam entre R$ 150 e R$ 375 ocorre com base em dois calendários. 

O Ministério da Cidadania definiu duas tabelas de pagamento, uma para inscritos no Bolsa Família e que iriam receber o auxílio e outra para os demais beneficiários. Dessa forma, o pagamento do Auxílio para Bolsa Família ocorre alguns dias antes do público geral. 

Assim, beneficiários do Bolsa Família irão vivenciar o fim do auxílio emergencial 2021 mais cedo. Para eles, a última liberação de recursos ocorrerá no dia 29 de outubro. Já para quem faz parte do público geral, o fim do auxílio emergencial 2021 ocorre alguns dias depois, no dia 31. 

É verdade que o auxílio emergencial vai até dezembro de 2021?
O calendário de pagamento do auxílio emergencial 2021 acaba neste mês de outubro, porém, apenas inscritos no Bolsa Família têm direito ao saque imediato do valor. Isso significa que para quem é do público geral, há ainda um calendário secundário. 

A liberação de saque ocorre de forma escalonada com base no mês de nascimento de cada beneficiário. Assim, nascidos em janeiro são os primeiros a poderem retirar em espécie o valor recebido, na sequência, aparecem os nascidos em fevereiro e assim por diante. 

Isso significa que entre 1º e 19 de novembro, ainda haverá uma etapa faltando para o fim do auxílio emergencial 2021 em sua totalidade. No dia 19, os nascidos em dezembro poderão sacar a sétima parcela do auxílio emergencial e com essa liberação, o fim do auxílio emergencial 2021 será consolidado. 

Bolsa Família vai acabar?

O Ministério da Cidadania já se pronunciou destacando que o Bolsa Família vai ser encerrado. Isso significa que os beneficiários não poderão mais receber nenhum dinheiro do programa social. Mas, é importante dizer que a medida será substituída por um novo programa social, o Auxílio Brasil, logo após o fim do auxílio emergencial 2021.

Sendo assim, os inscritos no Bolsa Família não ficarão sem assistência com o fim do programa social. O presidente da República, Jair Bolsonaro (Sem Partido) defende a promessa de que não deixará nenhum dos inscritos no Bolsa Família de fora do programa que o irá substituir.

A promessa de Bolsonaro na realidade é zerar a fila de espera do benefício, já que o governo estima existirem cerca de 2,4 milhões de famílias com pedidos em aberto para receberem o Bolsa Família.

Auxílio Brasil: Quem tem direito?
Com a reformulação do Bolsa Família, o governo espera sair de 14 milhões famílias de beneficiários para 17 milhões, zerando a fila de espera. Dessa forma, o governo defende que o Auxílio Brasil irá substituir integralmente o auxílio emergencial, mas não leva em consideração quem deixará de receber o benefício.

Até o momento, tem direito ao auxílio brasil:

Inscritos com cadastro atualizado no Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico)
Pessoas em situação de extrema pobreza com renda familiar mensal de até R$ 89 por pessoa
Membros de famílias pobres com renda familiar mensal de no máximo R$ 178
Contudo, como o programa ainda não foi oficialmente lançado, mudanças nos critérios de seleção ainda podem ocorrer. Por enquanto, o Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico) segue sendo a única porta de entrada para o Auxílio Brasil.

O CadÚnico é usado para fornecimento de outros 20 benefícios sociais e deve ser visto como uma oportunidade para as famílias seguirem recebendo programas sociais após o fim do auxílio emergencial 2021.



Com informações do site: dci