terça-feira, 26 de outubro de 2021

É falso extrato que mostra que família de beneficiários do Bolsa Família sacou R$ 2,6 mil?


 
Foto: Reprodução

Circula pelo WhatsApp a imagem de um extrato bancário da Caixa Econômica Federal no qual aparecem três benefícios no valor total de R$ 2,6 mil: R$ 1.802, em referência ao Cartão Família Carioca; R$ 660, em referência ao Bolsa Família; e R$ 138, em referência ao Bolsa Família Jovem. A imagem é acompanhada de um texto que sugere que o comprovante pertence a uma família cujo pai é, supostamente, um preso condenado. No texto, o autor também afirma que essa seria a renda de uma “família abaixo da linha de pobreza”. Por WhatsApp, leitores da Lupa sugeriram que esse conteúdo fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação​:

“(…) Esse comprovante de pagamento é de uma família em que o pai é um preso condenado e tem 3 filhos menores… Seus valores se referem ao valor do auxilio reclusão e à bolsa familia dos filhos somados juntos… Esta é a renda da família que está abaixo da linha da pobreza do governo Dilma… (…)”

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. O extrato corresponde a supostos pagamentos recebidos em maio de 2014. Naquela data, o valor do programa Família Carioca estava entre R$ 20 e R$ 400, e não R$ 1,8 mil, como aparece no extrato. Esse auxílio é um complemento ao Bolsa Família para beneficiários da cidade do Rio de Janeiro. Em nota, a assessoria de imprensa da Secretaria de Assistência Social do Rio confirmou que o valor do Cartão Família Carioca variava de R$ 20 a R$ 400 para cada usuário em 2014. Também explicou que, pelo fato de a imagem do recibo omitir o nome do usuário e o número de registro do trabalhador, não é possível averiguar a veracidade do documento ou se houve fraude na época.

O valor do Bolsa Família que aparece no recibo também não corresponde à realidade daquele mês. Na época, o valor pago era de R$ 70 — podendo chegar a no máximo R$ 230 em caso de famílias com até cinco filhos, e não R$ 660. Tampouco o valor do Bolsa Família Jovem procede. Esse benefício era no valor de R$ 38 para adolescentes de 16 e 17 anos, e não R$ 138. 

Em maio de 2014, o benefício básico do Bolsa Família era de R$ 70. Como se trata de um benefício variável, ou seja, destinado às famílias com gestantes ou com crianças ou adolescentes com idade até 15 anos, o governo federal oferecia R$ 32 como ajuda de custo extra por pessoa. Poderiam ser contemplados até cinco integrantes da mesma família, ou seja, o valor máximo desse adicional chegaria a até R$ 160, além dos R$ 70.

Se levar em consideração a família descrita na publicação, com três filhos, o valor total do benefício seria de R$ 166, e não R$ 660. Mesmo que fosse uma família com cinco filhos, o valor máximo seria de R$ 230.

O Bolsa Família Jovem, que aparece na terceira linha do recibo, se refere ao benefício concedido às famílias em situação de extrema pobreza que tenham em sua composição adolescentes entre 16 e 17 anos. Em maio de 2014, esse auxílio era no valor de R$ 38 por jovem, e não R$ 138.

Na primeira vez que a imagem do extrato viralizou nas redes sociais, em junho de 2014, o site de notícias Blog do Branquinho publicou um texto no qual sugeriu que a origem do recibo tinha sido um funcionário de uma casa lotérica que, tecnicamente, tinha como imprimir um recibo e depois cancelá-lo. No blog, ele publica a imagem do mesmo recibo — o número de identificação do documento é o mesmo: 142-628212983-8 —, só que com valores diferentes dos benefícios. Em vez de R$ 660 e R$ 138 na segunda e terceira linhas, constam R$ 166 e R$ 38. 

Vale pontuar que a imagem do extrato mostra apenas os benefícios Família Carioca, Bolsa Família e Bolsa Família Jovem. Diferentemente do que consta no texto que acompanha a imagem, não há descrição de auxílio-reclusão. Além disso, o valor máximo desse benefício, em 2014, era de R$ 1.025, pago somente às famílias de presos que contribuíram com a Previdência Social. 

Com informações do site:   noticiageral