sexta-feira, 29 de outubro de 2021

Como voltar ao cadastro no Bolsa Família para garantir entrada no novo programa


 
(Foto: Reprodução/FDR)
Brasileiros recorrem ao Bolsa Família como porta de entrada ao novo projeto social do governo. Ao longo das próximas semanas espera-se que seja implementado o Auxílio Brasil. No entanto, ainda é preciso fazer a migração dos segurados do BF para sua folha orçamentária. Entenda abaixo como se candidatar.

A implementação do Auxílio Brasil está cada vez mais próxima e com isso a população deve ficar atenta a portabilidade do Bolsa Família. Quem não estiver registrado no atual projeto precisa se vincular ao Cadastro Único para ter acesso ao novo pagamento.

Regras para a concessão do Auxílio Brasil
  • Ter renda familiar per capita de até R$ 89; ou
  • Ter renda familiar per capita de até R$ 178 (no caso de famílias que tenham em sua composição gestantes, nutrizes, crianças e/ou adolescentes até 17 anos);
  • Estar inscrito no CadÚnico;
  • Estar com dados atualizados no CadÚnico há, pelo menos, dois anos.
Como me registrar no Cadastro Único?

O primeiro passo é ir até um centro de assistência social do seu município. Para isso é preciso ter ao menos 16 anos. Atendendo as regras acima basta você entregar os seguintes documentos:

  • Certidão de Casamento;
  • Certidão de nascimento;
  • CPF;
  • Carteira de Identidade – RG;
  • Carteira de Trabalho;
  • Título de Eleitor;
  • Registro Administrativo de Nascimento Indígena (Rani) – somente se a pessoa for indígena.

Para ter direito aos abonos é preciso ainda cumprir os seguintes requisitos:
  • Inclusão da família, pela prefeitura, no CadÚnico do Governo Federal;
  • Seleção pelo Ministério da Cidadania;
  • No caso de existência de gestantes, o comparecimento às consultas de pré-natal, conforme calendário preconizado pelo Ministério da Saúde (MS);
  • Participação em atividades educativas ofertadas pelo MS sobre aleitamento materno e alimentação saudável, no caso de inclusão de nutrizes (mães que amamentam);
  • Manter em dia o cartão de vacinação das crianças de 0 a 7 anos;
  • Acompanhamento da saúde de mulheres na faixa de 14 a 44 anos;
  • Garantir frequência mínima de 85% na escola, para crianças e adolescentes de 6 a 15 anos, e de 75%, para adolescentes de 16 e 17 anos.

O Auxílio Brasil deve passar a operar entre dezembro e janeiro de 2022, a depender da aprovação de seu orçamento.


Com informações do site: FDR