sexta-feira, 29 de outubro de 2021

Bolsonaro diz que novo Bolsa Família tem que ser de, ‘no mínimo’, R$ 300


 
(Foto: Reprodução)
O presidente Jair Bolsonaro quer um valor de, “no mínimo”, R$ 300 para os benefícios do novo Bolsa Família, segundo declarações dadas à TV Canção Nova, em programa gravado há duas semanas e que foi veiculada na noite de ontem, quinta-feira (28).

Bolsonaro afirmou que a média atual dos benefícios é de R$ 192, o que ele disse considerar “muito pouco” no contexto atual de aumentos de preços de alimentos, gás de cozinha e de custos em geral para a população mais pobre.

O presidente entregou ao Congresso a Medida Provisória (MP) do novo Bolsa Família, que prevê mudança de nome do programa para Auxílio Brasil. Os aliados de Bolsonaro no Congresso trabalham com um valor mais alto para o benefício, de R$ 400.

Subir o valor do benefício, no entanto, depende da aprovação da PEC dos Precatórios, que permitiria direcionar mais recursos para o Auxílio Brasil, até o fim de novembro, mas enfrenta dificuldades para ser votada na Câmara dos Deputados.

Na entrevista, Bolsonaro voltou a culpar o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) pela alta dos preços dos combustíveis nos últimos meses. “Os preços estão subindo no mundo todo e no Brasil também, mas o problema é colocar 30% de imposto estadual sobre o preço”, afirmou referindo-se ao ICMS.

Reformas

Questionado sobre as reformas em seu governo, Bolsonaro mostrou-se pouco otimista com o ritmo delas no Congresso. Segundo o presidente, reformas precisam ser votadas no primeiro ano de um governo, como ocorreu com a da Previdência, no início de seu mandato, em 2018. Sobre as reformas administrativa e tributária, que se arrastam no Parlamento, Bolsonaro disse que, se não forem votadas este ano, também não serão em 2022, ano de eleição presidencial. "Daí esquece, só em 2023", completou ele.

Com informações do site: VALOR PRO