domingo, 26 de setembro de 2021

Situações em que o segurado pode receber uma bolada nos atrasados do INSS


 
Foto: Reprodução

Os segurados que possuem o direito à concessão ou à revisão de um benefício previdenciário podem receber os atrasados do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social). O dinheiro é pago tanto no posto, através de pedidos administrativos, quanto na Justiça, quando o cidadão deve acionar o Judiciário para receber sua renda.

Em relação a quem pede a revisão do benefício, os valores pagos são de até cinco anos antes do pedido, seja no INSS ou na Justiça.

Neste caso, o beneficiário ganha, de forma acumulada, a soma das diferenças mensais entre o benefício que estava recebendo (com erro) e o valor correto de renda a que possuía direito.

Quando os atrasados são pagos?
Para quem está aguardando o reconhecimento da concessão, os atrasados são pagos desde a data inicial do pedido. Caso o dinheiro seja liberado depois da solicitação administrativa, mesmo que demore meses ou anos, o INSS quita o valor juntamente com o pagamento do primeiro benefício.

Os valores podem ser depositados diretamente na conta da aposentadoria ou pensão ou liberados por PAB (Pagamento Alternativo de Benefício). Já o segurado que recebe o valor depois de ganhar processo na Justiça está sujeito aos prazos do Judiciário. 

Se o atraso for de até 60 salários mínimos, o que dá R$66 mil neste ano, ele é pago através de RPV (Requisição de Pequeno Valor) e cai na conta em até 60 dias após a ordem do juiz.

Se a quitação do retroativo for feita por meio de precatório, por se tratar de dívida de mais de 60 salários mínimos, o beneficiário espera mais para ter a grana.

Quem possuí direito de receber atrasados do INSS?
Quem solicita a concessão de um benefício previdenciário, seja no INSS ou na Justiça, e espera mais do que o prazo mínimo por uma resposta tem direito de receber atrasados se conquistar a renda

A mesma regra é válida para o beneficiário que pede uma revisão, depois de encontrar algum erro. Neste cenário, ele pode receber atrasados de até cinco anos antes do pedido, seja no INSS ou no Judiciário

Com informações do site: FDR