quinta-feira, 23 de setembro de 2021

Sexta parcela do auxílio emergencial é liberada hoje;


 
Foto: Reprodução
A Caixa Econômica Federal realiza hoje, dia 22, o pagamento da sexta parcela do auxílio emergencial para trabalhadores informais. Recebe hoje o grupo de nascidos em fevereiro. Os valores variam de R$ 150 a R$ 375. 

O dinheiro fica disponível para compras, pagamentos e transferências, mas só poderá ser sacado em 5 de outubro. Também ganham hoje beneficiários do Bolsa Família com o NIS (Número de Inscrição Social) de final 4. Nesse caso, o dinheiro já fica disponível para saque. 

O pagamento do auxílio é feito de acordo com o mês de nascimento, para trabalhadores informais, e com o último dígito do NIS, para quem é do Bolsa Família.

Com o auxílio emergencial do Governo Federal estão sendo beneficiadas 45,6 milhões de pessoas. Mas só estão recebendo o novo auxílio quem já estava sendo beneficiado no ano passado e, portanto, já estava inscrito nos cadastros públicos usados para a análise dos pedidos. Quem não faz parte dos cadastros não receberá o benefício, visto que não haverá novos pedidos.  

Quais os critérios para receber o auxílio emergencial?

É preciso atender uma série de critérios para receber o novo auxílio: ter recebido o auxílio emergencial em 2020 ser trabalhador informal ou beneficiário do Bolsa Família ter renda familiar mensal de até três salários mínimos (R$ 3.300) ter renda familiar por pessoa de até meio salário mínimo (R$ 550)

Os valores das parcelas são diferenciados e seguem as seguintes regras:

Para quem mora sozinho: R$ 150 
Famílias com mais de uma pessoa: R$ 250 
Famílias chefiadas por mulheres: R$ 375 

O pagamento é feito da seguinte forma: o governo deposita o dinheiro nas contas digitais gratuitas abertas pela Caixa Econômica em nome dos beneficiários do auxílio. O dinheiro pode ser movimentado pelo aplicativo Caixa Tem. 

Segundo as previsões do Governo Federal, o auxílio emergencial cessará no mês de outubro. Em novembro, somente os beneficiários do Bolsa Família vão continuar a receber a ajuda. O programa passará a ser chamado de Auxílio Brasil, com previsão de parcelas a R$ 300.

Com informações do site: jornalcontabil, Ana Luzia Rodrigues.