sexta-feira, 17 de setembro de 2021

Saiba como dinheiro parado do PIS/Pasep pode ser sacado


 


Foto: Reprodução

Mais de R$ 22 bilhões referentes às cotas do PIS/Pasep estão retesados na Caixa Econômica Federal aguardando saque pelos trabalhadores de direito. Caso os resgates não ocorram, os valores serão retornados para os cofres da União, inviabilizando para sempre um novo regaste.

Para quem não sabe, as cotas do PIS/Pasep são recursos que podem ser sacados por quem trabalhou em empresas privadas e órgãos públicos entre os anos de 1971 e 1988, mas que acabaram não resgatando o dinheiro na época. Caso o cotista tenha falecido, os herdeiros têm direito ao montante.

Desde que foram liberadas, as cotas do PIS podiam ser sacadas na Caixa Econômica Federal, enquanto as do Pasep no Banco do Brasil. No entanto, o governo federal extinguiu os dois fundos e transferiu todos os recursos para o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Dessa forma, a partir de agora, os saque se concentram exclusivamente na Caixa

Lembrando que esses recursos em específico não têm relação com o abono salarial do PIS/Pasep tradicional, pago anualmente aos trabalhadores que recebem até dois salários mínimos por mês.

O trabalhador que se encaixa nas regras de recebimento das cotas deve procurar uma agência da Caixa Econômica Federal para fazer o saque do dinheiro guardado. Por lá, também é possível consultar o saldo disponível, que varia entre os beneficiários.

No momento do saque, basta apresentar um documento oficial com foto. Caso o trabalhador tenha falecido, os herdeiros podem sacar. Neste caso, além do documento oficial de identificação, também é necessário ter em mãos a documentação que comprova a condição de herdeiro, como a certidão de óbito e inventário.

Vale dizer que os saldos das cotas serão dados como abandonados a partir de 1º de junho de 2025, momento em que se tornarão propriedade da União. Sendo assim, os valores estarão disponíveis para saque até o dia 31 de maio de 2025.

Com informações do site: Capitalist