quarta-feira, 22 de setembro de 2021

Michelle e Queiroga usam máscara em NY e destoam de comitiva de Bolsonaro


 
Foto: Reprodução

A primeira-dama Michelle Bolsonaro era uma das únicas pessoas da comitiva do presidente Jair Bolsonaro a usar máscara de proteção em visita ao memorial às vítimas do 11 de Setembro nesta tarde, em Nova York, nos Estados Unidos. O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, e uma das intérpretes que acompanham o grupo também usavam o item. Horas após o passeio, Queiroga soube que testou positivo para covid — o ministro contou que foi o próprio Bolsonaro quem deu a notícia.

Das 17 pessoas que compõem a delegação brasileira, só três são mulheres: Michelle e as tradutoras Claudia Chauvet e Rachel Alves Bezerra. Na maior parte das imagens, o presidente — que afirma que não se vacinou — e os ministros que o acompanham não usam máscaras. A prefeitura de Nova York recomenda usar a proteção em ambientes internos, mas não é obrigatório. Mais cedo, Bolsonaro usou o item quando estava na sede da ONU para fazer o discurso de abertura da Assembleia-Geral.

Sem vacina, só na calçada Só pessoas com vacinação completa podem frequentar os estabelecimentos de Nova York. Quem optar por não se vacinar ou não apresentar comprovante —também chamado de passaporte sanitário—, tem de comer nas mesas da calçada.

 Sem se vacinar, Bolsonaro comeu pizza em pé, na calçada, na noite de domingo. Ontem, descobriu-se que a filial de uma churrascaria brasileira criou um "puxadinho" na rua só para receber o presidente, que não poderia comer dentro do salão.

Com informações do site: noticias.uol