segunda-feira, 20 de setembro de 2021

MEC abre período de adesão ao Enare 2021


 
Foto: Reprodução

O Ministério da Educação (MEC) abre na próxima segunda-feira (20) o período de adesão das instituições ao Exame Nacional de Residência (Enare) 2021. De acordo com o cronograma, instituições de ensino de todo o país devem aderir ao exame entre os dias 20 e 24 de setembro. 

A Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), que é responsável pela realização do exame, irá disponibilizar uma plataforma para que as instituições interessadas possam realizar o seu cadastro. 

Criado pelo MEC com o objetivo de otimizar a forma de selecionar os residentes, o Enare contou com a aplicação de uma versão piloto no ano passado. O ministro da Educação afirmou na última quarta-feira (16) que “as universidades federais participantes [da 1ª edição do Enare] tiveram menos vagas ociosas e, para os candidatos, o ‘Enem da Residência’ apresentou vantagens como custo menor e data única para a realização das provas, dentre outras”.

O Enare funciona de forma semelhante ao Enem/SiSU. Nesse sentido, os candidatos usam as notas obtidas no exame parar concorrer às vagas de residência segundo as áreas nas quais desejam atuar. O candidato têm um prazo para indicar o local de sua preferência. 

Assim, as vagas são preenchidas de acordo com a classificação dos participantes a partir das notas. Posteriormente, o sistema é reaberto para o preenchimento de vagas ociosas e para a criação de um cadastro reserva.  

Versão piloto teve mais de 4 mil candidatos
De acordo com o MEC, na 1ª edição, o Enare recebeu mais de 4 mil inscrições. Os candidatos disputaram 304 vagas. Segundo o presidente da Rede Ebserh/MEC, Oswaldo Ferreira, o piloto feito em 2020 foi ‘bastante exitoso’.

Por isso, o MEC irá “estender a iniciativa para um âmbito maior, incluindo outras instituições públicas, que poderão otimizar seus processos seletivos e economizar recursos públicos. Estamos caminhando para que o Enare se torne o grande exame de residência do país, nos mesmos moldes do Enem, em relação ao ensino médio. Isso beneficiará milhares de residentes e centenas de instituições brasileiras”, afirmou ele. 

Com informações do site: noticiasconcursos