segunda-feira, 13 de setembro de 2021

INSS: 200 mil auxílios disponibilizados sem a perícia médica poderão ser revisionados


 


Foto: Reprodução

 Na época em que se deu a liberação dos auxílios, as agências da Previdência Social estavam fechadas em decorrência da pandemia de Covid-19 que assolou o país durante o ano de 2020.

Agora o Instituto Nacional da Seguridade Social deverá rever aproximadamente 200 mil benefícios liberados para cidadãos brasileiros que solicitaram o auxílio-doença, mas que não passaram por nenhuma avaliação médica da Previdência Social. 

Para que serve o auxílio-doença?
O auxílio-doença é agora conhecido como benefício por incapacidade temporária, ele é disponibilizado quando o contribuinte fica incapacitado de realizar suas atividades laborais, normalmente para verificar essa situação o INSS solicita a realização da perícia médica. 

Existem duas modalidades do benefício, o auxílio-doença comum é caracterizado pelo auxílio para doenças comuns que podem incapacitar o trabalhador. Já o auxílio-doença acidentário é quando a doença pode ser caracterizada como ocupacional, ou ainda quando ocorre acidente de trabalho. 

Quando um trabalhador tem acesso ao segundo tipo de auxílio ele também dispõe do direito de ter estabilidade no trabalho pelos próximos 12 meses e dependendo do caso pode requerer uma indenização. 

Para solicitar o benefício, é necessário entrar em contato com o INSS por meio da central 135 ou pela plataforma da Previdência Social. 

Antecipação dos benefícios 
No auge da pandemia de Covid-19 foram liberados cerca de 200 mil auxílios para atender os segurados do INSS. Contudo, o auxílio-doença é liberado mediante perícia médica impossibilitado em decorrência do vírus SARS-CoV 2. 

O auxílio ficou na faixa de R$1.045 os beneficiários que comprovarem serem aptos a receberem quantias maiores deverão confirmar a incapacidade temporária para o recebimento da quantia faltante.

Cerca de 3 milhões de pedidos de antecipação do benefício foram enviados para a Previdência Social. 

Com a antecipação dada em forma do valor fixo de R$1.045 muitos contribuintes acabaram recebendo quantias menores do que as necessárias. Contudo, caso seja comprovado que o beneficiário tem direito a um valor superior ao estipulado pelo INSS deverá receber a diferença que falta da quantia ideal. 

Dos 3 milhões de requerimentos recebidos pelo INSS, 1 milhão chegaram a ser atendidos e 200 mil aguardam a revisão do benefício. 

A solicitação da revisão dos valores pode ser realizada através do aplicativo “Meu INSS”, não existe um campo particular para esse tipo de requerimento, mas é possível fazer o pedido ao selecionar a opção “Agendamentos/solicitações”. 

Ao acessar essa opção, selecione o item “Novo requerimento” e ao ser redirecionado procure por “Atualizações para manutenção do benefício e outros serviços”. No fim da página será possível encontrar a opção “Solicitar pagamento de benefício não recebido”. 

Depois avance e preencha os dados, anexe as informações e explique a situação para a solicitação do pagamento da diferença. 

Avance até que o procedimento seja encerrado, o acompanhamento da análise poderá ser feito pelo próprio aplicativo. Basta acessar e verificar o status do requerimento de revisão. 


Com informações do site: Jornalcontabil, Iana Filizola