quinta-feira, 9 de setembro de 2021

Governo federal lançou incentivo para consumidores conseguir desconto no valor da conta de luz; Redução deve ser de até 20%.


 
Foto: Reprodução
Nos próximos dias o governo federal deve lançar um incentivo que concede desconto na conta de luz para clientes residenciais e comerciais de pequeno porte, ou seja, atendidos por distribuidoras de energia. Desde que se comprometam em diminuir o consumo de forma voluntária. Essa medida tem como intuito conter a crise hídrica. O benefício deve entrar em vigor a partir de setembro e se estender até abril do ano de 2022. Apesar disso, o valor do desconto ainda não foi definido.

Até o dia 27 de agosto, o governo iria conceder o desconto de R$ 1 por cada kWh do volume de energia consumido dentro da meta de 10% a 20%. 

Porém, o valor foi considerado inviável e o desconto será menor. Quem deve definir os valores são os técnicos do Ministério de Minas e Energia.

Para a realização do cálculo serão levados em conta os consumos nos meses de setembro, outubro e novembro de 2020.

Os meses foram escolhidos para que o período de restrições mais intensas à mobilidade por causa da pandemia não fossem considerados, o que poderia distorcer a média.

Esse desconto será custeado pelos recursos do ESS (Encargo de Serviços do Sistema), cobrado nas contas de luz. Isso quer dizer que o bônus será bancado pelos próprios consumidores.

Bandeira Tarifária

No início do ano de 2015, a cobrança da conta de energia começou a ser feita pelo sistema de bandeiras tarifárias, que cobra a energia da população de acordo com a dificuldade em sua produção. 

Algumas vezes é necessário o  uso de usinas termoelétricas para gerar a energia necessária, como o custo dessa forma de geração é maior, a conta paga pela população também se torna maior.
 
Verde: Condições favoráveis de geração de energia, por isso,não há acréscimo na conta.
Amarela: Condições menos favoráveis de geração de energia, por isso, há um acréscimo de R$ 1,87 para cada 100KWh consumido.
Vermelha 1: Condições desfavoráveis na produção e necessidade de ligação das termoelétricas, por isso, acréscimo de R$ 3,97 para cada 100KWh consumido
Vermelha 2: Condições desfavoráveis na produção e necessidade de ligação das termoelétricas, por isso, acréscimo de R$ 9,49 para cada 100KWh consumido.

A bandeira que será acionada será a vermelha 2, no qual é a situação mais criticas das chuvas.

Com informações do site: redebrasilnews