terça-feira, 21 de setembro de 2021

Digitalização dos meios de pagamento: aumento relevante para a economia nacional


 
Foto: Reprodução

Avanço tecnológico dos meios de pagamento
O Banco Central do Brasil informa que os meios de pagamento avançam cada vez mais para a digitalização. Confira alguns dados específicos.

TED
Já em termos de valor, o BC informa que os destaques foram a participação relativa das TEDs envolvendo clientes, que aumentou de 38% para 47%, e do débito direto – débito automático, como é conhecido no mercado, que caiu pela metade – de 12% para 6% no período. 

Todavia, quanto ao uso dos canais de atendimento das instituições, os destaques foram o aumento significativo das operações realizadas por intermédio de dispositivos móveis, de 41%, em 2018, para 59%, em 2020, acompanhado de uma queda no uso do canal internet banking, de 29% para 22% no período, informa o BC.

Fora a queda no atendimento nas agências e postos tradicionais e cooperativos, a utilização dos demais canais com atendimento presencial – ATM e correspondente no país, mantiveram-se estáveis. Esses dados são compatíveis com o cenário de pandemia.

Aumento relevante para a economia nacional 
A despeito dos efeitos da pandemia de Covid-19, os números do mercado de cartões tiveram um aumento expressivo em 2020. O BC informa que a base de cartões ativos aumentou em 2020, com destaque para os cartões pré-pagos, que foi incrementada em 90%. Sendo seguida pela base de cartão de débito e de crédito, que aumentaram 12% e 26%, respectivamente, informa o Banco Central.

No entanto, a quantidade total de transações com cartão de crédito se manteve estável. Ao passo que a de cartões de débito teve uma pequena elevação de cerca de 5%, informa o BC. Enquanto o valor total das transações com cartão de crédito e de débito aumentou 6% e 21%, respectivamente. 

Efeitos da pandemia 
O BC ressalta que embora não tenha sido objeto de estudo específico, esse comportamento pode estar relacionado aos efeitos da pandemia, que levou a um comportamento mais conservador dos portadores de cartão de crédito e respectivos emissores, e do pagamento do auxílio emergencial através de cartões de débito.

  Já os cartões pré-pagos, por ainda serem uma inovação no País, ao contrário dos cartões de débito e de crédito, que já estão mais consolidados no mercado, tiveram aumento expressivo, tanto em quantidade quanto em valor das transações, que cresceram 90% e 81%, respectivamente em 2020.  

No entanto, como já era esperado, os gastos com cartão no exterior sofreram uma redução acentuada de 27%. No entanto, em termos de quantidade, e mais ainda em termos de valor, com queda de 52%, informa o Banco Central do Brasil. 

Digitalização
Os dados corroboram a crescente digitalização no setor dos meios de pagamento no país e na economia como um todo, informa o BC. A tendência, inclusive, foi fomentada pelo Banco Central por meio da dimensão Competitividade da Agenda BC e que conta com ações como o Pix, o Open Banking e o Sandbox Regulatório, entre outras.   

Por fim, lançado em novembro de 2020, o Pix, inclusive, já colaborou para as estatísticas, afirma o Banco Central do Brasil. No dia 31 de dezembro do ano passado, o serviço havia sido responsável por 144.595 mil operações de transferência de crédito, por exemplo. Essas informações oficiais estão disponíveis no site do Banco Central do Brasil e apontam tendências importantes para o cenário econômico pós pandemia.

Com informações do site: Noticias Concursos