segunda-feira, 20 de setembro de 2021

Da cesta básica ao vale gás: Confira lista de programas emergenciais ativos


 
        
Foto: Reprodução

Mesmo com a pandemia apresentando redução no país, a retomada da economia, por outro lado, acontece a passos ainda tímidos, o que faz com que governantes ainda mantenham políticas de assistência pública funcionando para quem está mais vulnerável.

O avanço da inflação e a alta no preço de produtos e bens de consumo essenciais tornam programas sociais, como o Vale Gás Social e o Auxílio Cesta Básica, por exemplo, medidas fundamentais de manutenção do bem-estar da população carente.

Mesmo com a pandemia apresentando redução no país, a retomada da economia, por outro lado, acontece a passos ainda tímidos, o que faz com que governantes ainda mantenham políticas de assistência pública funcionando para quem está mais vulnerável.

O avanço da inflação e a alta no preço de produtos e bens de consumo essenciais tornam programas sociais, como o Vale Gás Social e o Auxílio Cesta Básica, por exemplo, medidas fundamentais de manutenção do bem-estar da população carente.

Veja a seguir alguns programas de políticas atualmente em vigor:

1. Auxílio Catador: criada pelo governador do Ceará, Camilo Santana, a iniciativa visa ajudar financeiramente os catadores de lixo do estado. O benefício tem valor de R$ 275 (o equivalente a 1/4 do salário mínimo atual).

Ao todo, serão repassadas 12 parcelas este ano, cuja duração do programa vai até 31 de dezembro de 2021.

2. Auxílio Emergencial: criado pelo governo federal em 2020, o benefício será repassado até outubro deste ano aos trabalhadores informais e desempregados. O valor das parcelas varia de R$ 150 a R$ 375. Beneficiários do Bolsa Família também recebem a ajuda caso o valor do auxílio fique maior que o do Bolsa.

3. Vale Gás Social: criado desde o início da pandemia, a medida serve de apoio aos cearenses em situação de vulnerabilidade social. Até o momento, o programa já distribuiu cerca de 500 mil botijões de gás desde o ano passado.

Participam da ação jovens do Programa Superação, pessoas cadastradas no Cartão Mais Infância, inseridas no Cadastro Único (CadÚnico) e atendidas pelo Bolsa Família, com renda igual ou abaixo de R$ 89,34. De acordo com o governo do Ceará, a previsão é tornar a medida permanente mesmo após a pandemia.

4. Aluguel Social Maria da Penha: foi instituído na cidade de Fortaleza com o intuito de socorrer mulheres vítimas de violência doméstica. Trata-se de um auxílio moradia às vítimas no valor de R$ 420 mensais.

A ajuda é oferecida pelo período de até um ano, com possibilidade de renovação por mais um, totalizando até dois anos.

5. Cestas básicas: a ajuda firmada entre o governo do Ceará e a Assembleia Legislativa distribui cestas básicas para 60 municípios do estado através do programa Mais Infância Ceará.

A escolha dos lugares levou em consideração o baixo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) apresentado pelas cidades. O programa, que ainda está em vigor, é voltado para quem é beneficiário do Cartão Mais Infância Ceará, aquele com inscrição no CadÚnico ou que seja beneficiário do Bolsa Família, com renda per capita inferior a R$ 89,34.

Com informações do site: capitalist