terça-feira, 21 de setembro de 2021

Cerca de 22 milhões ficarão sem nenhum auxílio do Governo em novembro


 
Foto: Reprodução

Cerca de 22 milhões de brasileiros que hoje recebem alguma ajuda do Governo Federal deverão ficar sem nada a partir de novembro. Pelo menos essa é a projeção que o próprio Palácio do Planalto está fazendo. E o fato é que até este momento ainda não se sabe o que se pode fazer com essas pessoas.

De acordo com o Ministério da Cidadania, o Auxílio Emergencial está atendendo atualmente algo em torno de 35,4 milhões de pessoas. Já o Bolsa Família está chegando na casa de outros 4 milhões. Aqui é importante lembrar que parte dos usuários de um projeto acabou migrando para outro de maneira momentânea.

Ao todo, portanto, o Governo atende algo em torno de 39 milhões de brasileiros com programas sociais neste momento. Os dois projetos deverão chegar ao fim ao mesmo tempo. Com isso, todas essas pessoas deverão sair desses benefícios. Apenas uma parte vai conseguir entrar em um novo.

De acordo com o próprio Governo Federal a ideia é estrear o Auxílio Brasil justamente com o intuito de pegar esses brasileiros que ficarão sem nenhum programa. O problema aqui é que não há espaço para todo mundo. O que se sabe é que o novo Bolsa Família, que vai estrear em novembro, vai ter espaço para algo em torno de 17 milhões de pessoas.

Sendo assim, se 39 milhões de usuários deixarão os seus programas em outubro, e o Governo vai abrir 17 milhões de vagas em novembro, isso quer dizer portanto que teremos um déficit. Serão algo em torno de 22 milhões de usuários que não conseguirão ter acesso a nenhum projeto social antes do fim deste ano.

Outros problemas
E vale lembrar que essa situação nem revela ainda outro problema. É que o número de pessoas que seguirão precisando de dinheiro deve ser bem maior do que essa marca de 22 milhões. Acontece que essa conta só leva em consideração os cidadãos que estão recebendo benefícios hoje.

Só que existe uma parcela da população que não está recebendo nem o Auxílio Emergencial e nem o Bolsa Família já de agora. São brasileiros que garantem que precisam dessa quantia e argumentam que estão sem emprego com uma família inteira para alimentar.

A tendência é que esses brasileiros sigam sofrendo em novembro. Isso porque, pelas informações que se têm até aqui, o Governo Federal não deverá abrir mais vagas do que essas 17 milhões que estão prometidas. O argumento segue sendo o controle de gastos públicos.

Auxílio para vulneráveis
Quem falou sobre esse assunto nesta segunda-feira (20) foi o Ministro da Cidadania, João Roma. Ele é justamente o chefe da pasta que é responsável pelo Auxílio Emergencial e pelo Bolsa Família. Ele reconheceu que há um problema e que várias pessoas ficarão sem programas a partir de novembro.

De acordo com o Ministro, o Governo Federal vai ter que achar uma solução para esses usuários até o próximo mês de novembro. Só que ele mesmo disse que ainda não sabe o que seria essa ajuda. É muito pouco provável que seja alguma compensação financeira.

Em entrevista recente, o Ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que a ideia do Governo é encontrar trabalho para essas pessoas. Assim, na visão dele, com o salário no bolso, elas não precisariam mais se preocupar com auxílios. Agora é esperar para saber o que vai acontecer nos próximos meses.

Com informações do site: Noticias Concursos