terça-feira, 24 de agosto de 2021

Qual melhor chave PIX para cadastrar?


 
Foto: Reprodução
Desde o final de 2020 já é possível realizar o cadastro da chave PIX, o novo sistema de pagamentos e transferências instantâneas.

Os clientes têm a opção de realizar o cadastro de até cinco chaves associadas a uma conta bancária.

Além de permitir o uso do novo sistema de forma direta, com o cadastro da chave também é possível localizar o destinatário do pagamento sem precisar de outros dados, por exemplo.

Quer saber quais as vantagens de cada uma das chaves e qual a melhor para cadastrar? Então continue a leitura deste texto para saber mais!

Quais são as opções da chave PIX?
As chaves PIX prometem agilizar as transações e pagamentos nos bancos e fintechs. Vale lembrar, porém, que não será possível registrar uma mesma chave em mais de uma conta.

Os quatro tipos de chaves disponíveis são:

CPF ou CNPJ;
Número de celular (precisa ser brasileiro);
Endereço de e-mail;
Chave aleatória (sequência alfanumérica).
Vale lembrar que, independente da chave escolhida, o cliente ainda poderá vincular o QR Code à determinada chave para facilitar a transferência.

Ou seja, ao criar um QR com o número de telefone, por exemplo, essa informação pode ser preenchida automaticamente na hora em que o pagador colocar a câmera do celular no QR Code.

Algumas vantagens de cadastrar a chave PIX são: mais praticidade na hora de realizar o pagamento, mais segurança nas transações e um maior controle sobre os seus dados.

Veja, a seguir, cada tipo de chave PIX e suas vantagens e desvantagens.

Chave CNPJ ou CPF
Esse tipo de chave é indicado para as transações com maiores formalidades, como o recebimento de salário, por exemplo, ou a compra de um bem com alto valor.

Ao cadastrar o CNPJ ou CPF o número fica vinculado à sua conta na instituição cadastrada. Não será possível, no entanto, utilizar um CPF em conta que seja CNPJ e vice-versa.

Uma das vantagens de colocar a chave com CPF ou CNPJ é que ela garante que o titular da conta será exatamente o mesmo do documento informado, uma vez que a chave não pode ser cadastrada em uma conta que não seja de própria titularidade.

Vale lembrar que mesmo que a chave com CPF ou CNPJ seja para maiores formalidades, de acordo com o manual do Banco Central, as empresas não podem exigir um tipo de chave específica.

Isso quer dizer que quem recebe o dinheiro decide se quer por CNPJ/CPF, endereço de e-mail, celular ou então por meio da chave aleatória.

Chave de e-mail
Outra alternativa para o cliente é cadastrar o e-mail como chave PIX. Caso opte por essa opção, então qualquer pessoa que tem o seu endereço de e-mail poderá lhe enviar dinheiro.

A desvantagem de utilizar a chave de e-mail é que qualquer pessoa que queira saber o seu nome completo e parte dos seus números do CPF conseguirá essa informação simulando uma transferência apenas com o e-mail.

Chave de celular
Nesta opção o cliente pode vincular o número do celular à conta. A chave de celular é indicada para pessoas que já têm o seu número de celular. Ou seja, contatos do WhatsApp, agenda de telefone etc.

Caso seu contato no WhatsApp, por exemplo, tenha o número ele poderá receber o dinheiro sem repassar qualquer outro tipo de informação.

Mas para garantir que o número do celular pertença ao titular da conta, por exemplo, a instituição enviará um código SMS para o telefone. Esse código deverá ser informado no aplicativo do banco para comprovar a veracidade do usuário.

Chave aleatória
A chave aleatória pode ser considerada uma das que mais oferecem privacidade ao cliente. Isso porque a chave é gerada através do aplicativo da instituição, e pode ser copiado e colado no formulário de transferência ou então vinculado ao QR Code.

Exemplo de uma chave aleatória: a4c6sks79-8kjg-98jh-ku6haiakj09

Ao digitar a chave ou utilizar o QR, por exemplo, o pagador terá acesso as seguintes informações:

nome completo da pessoa ou razão social da empresa;
CPF ou CNPJ mostrando parte dos números;
banco ou instituição financeira de destino do dinheiro.
Por fim, vale lembrar que o cliente tem total autonomia para gerenciar as suas chaves no aplicativo do banco ou da instituição financeira. Ou seja, ele poderá desvincular a chave PIX a qualquer momento.

Mas ao desvincular a chave ela deixará de ser, automaticamente, válida para receber os pagamentos.

Com informações do site: financeone