sexta-feira, 20 de agosto de 2021

Entenda como utilizar aplicativos para conferir benefícios e outros serviços do governo


 
Foto: Reprodução
No contexto da pandemia por Covid-19, o uso de tecnologias foi importante para que muitos tivessem acesso a variados serviços. Nesse sentido, aplicativos e sites do governo ajudaram beneficiários do Auxílio Emergencial, do Bolsa Família e do INSS, por exemplo.

Por esse motivo, com a manutenção da pandemia, o distanciamento social é uma medida importante para idosos e pessoas com comorbidades. Para esse grupo, inclusive, mesmo com o avanço da vacinação e a diminuição de casos e fatalidades, os cuidados seguem rígidos.

Assim, é possível perceber que estes são exatamente grande parte dos segurados do INSS (Instituto Nacional da Segurança Social). Isso porque grande parte dos aposentados são idosos e muitos dos benefícios do Instituto se destinam a pessoas com deficiência ou incapacidade, seja ela temporária ou definitiva.

Portanto, o uso de meios remotos se mostram importantes a esse grupo.

Como se cadastrar no aplicativo Caixa Trabalhador?
Primeiramente, para que o trabalhador tenha acesso aos serviços da plataforma, é necessário realizar um cadastro. Desse maneira, para tanto, o usuário precisará informar seu número de CPF, nome completo, data de nascimento e e-mail.

Com o cadastro pronto, o usuário poderá ter acesso a:

Calculadora de Abono Salarial
Consulta de Seguro-Desemprego
Calendário de pagamentos do PIS/PASEP
Benefício Emergencial de Preservação de Emprego e Renda (BEm)
Como acessar o aplicativo Meu INSS?
Outro aplicativo importante para os segurados do Instituto é o Meu INSS. Por meio dele, os usuários podem agendar atendimentos, perícia médica, realizar prova de vida, dentre outros.

De início, portanto, o cadastro também será necessário. Assim, existe a possibilidade de fazê-lo por meio de reconhecimento facial ou internet banking. Isto é, se utilizando o certificado digital que o segurado recebe do banco credenciado.

Contudo, para uma modalidade mais simples, também é possível iniciar o cadastro concedendo CPF e outros dados pessoais no site gov.br.

Em seguida, o usuário já terá acesso à opção “Meus benefícios”, que possibilita a consulta dos programas que este se insere.

Como consultar a solicitação do benefício?

Assim que o usuário tiver seu cadastro, ele poderá realizar o requerimento de um benefício. Após o pedido, o INSS possui um prazo para análise, a fim de conferir se o requerente, de fato, está dentro dos critérios necessários do programa.

Em caso positivo, então, o usuário passará a ser beneficiário. Antes disso, ainda, a plataforma oferece o acompanhamento desse processo, de modo que o interessado siga informado. Isto é, será possível ter conhecimento das atualizações e informações do Instituto.
De qualquer maneira, para além do aplicativo, o usuário também pode contar com a Central de Atendimento do INSS, pelo telefone 135. Na ocasião, o atendente irá solicitar dados do contribuinte, como seu CPF. Ademais, este também precisará confirmar os dados de cadastro.

É possível fazer perícia médica remota?

Para receber alguns benefícios, é necessário que o cidadão interessado passe por uma perícia médica. Nessa consulta, portanto, o profissional irá conferir se realmente existe a condição de saúde que se encaixa no recebimento de benefícios.

Por exemplo, o benefício por incapacidade temporária, antigo auxílio doença, requer necessariamente que o trabalhador esteja com alguma enfermidade não permanente. Portanto, passar pela avaliação de um especialista se mostra essencial para que o INSS trabalhe de maneira justa.

Contudo, com a pandemia, a aglomeração de muitos segurados em uma agência de Previdência Social fechada poderia ser um grande risco para funcionários e segurados. Nesse sentido, a perícia médica passou a ser por meio de documentos. Dentre eles estava o laudo médico, ou seja, o interessado precisaria ir a um profissional antes mesmo de recorrer ao Instituto.

Atualmente, apesar de tentar retornar com a perícia de maneira presencial, o INSS manteve a possibilidade remota, em razão de reclamações dos peritos. De acordo com estes profissionais, o retorno da prática de maneira presencial pode oferecer um risco de saúde e de vida para os funcionários e para os segurados. Estes último, inclusive, que, em sua maioria, fazem parte de um grupo de risco.

Como fazer a perícia médica pelo Meu INSS?

A fim de comprovação a situação de incapacidade, o beneficiário deverá:

Selecionar a área de perícia médica na plataforma e conceder dados solicitados.
Anexar registros médicos, documento pessoais, comprovante de residência, carteira de trabalho, carnês de contribuição (Guia da Previdência Social) com seus comprovantes de pagamentos, ASO (Atestado de Saúde Ocupacional) e carta da empresa que indica o último dia de trabalho.
Para anexar o laudo médico, então, será necessário:

Selecionar a opção “Agendar Perícia” dentro do aplicativo.
Selecionar “Perícia Inicial”
Responder à pergunta “Você possui atestado médico” ao clicar no botão “SIM”.
Conceder os dados necessários e avançar.
Na aba “Anexos”, clicar no sinal de mais (+).
Clicar em “Anexar” na nova tela aberta.
Selecionar o atestado médico, abrir e enviar.
Selecione a agência de Previdência Social para administrar seu benefício e avançar.
Clicar em “Declaro que li e concordo com as informações acima” e avançar.
Finalizar ao clicar em “Gerar Comprovante” de forma que tenha um recibo de que anexou o documento.

Como fazer prova de vida no Meu INSS?

Além da perícia médica, também é possível realizar prova de vida de maneira remota. O procedimento nada mais é do que demonstrar ao Instituto que o beneficiário continua em vida. Isso é importante ao levar em consideração que, antigamente, muitas famílias seguiam pegando os valores mesmo após a morte do segurado.

Desse modo, para aqueles que já possuem a biometria no sistema governamental, é possível utilizar desse recurso para prosseguir com a prova de vida. A medida, inclusive, é indispensável, podendo gerar suspensão do benefício quando o segurado não a realiza.

Para utilizar o Meu INSS e realizar a prova de vida basta:

Prosseguir com login no aplicativo Meu INSS.
Clicar no ícone “Prova de Vida”, do lado superior esquerdo da tela, ou na notificação que aparece no topo da tela. Caso ele não apareça, significa que o beneficiário não possui biometria no sistema do governo.
Realizar validação facial no aplicativo Meu gov.br ao clicar em “Autorizações”, autorizar o procedimento, informar dados solicitados, permitir acesso à câmera para o reconhecimento facial e retornar ao Meu INSS.
Aplicativo irá indicar que a prova de vida foi completo com sucesso.


Com informações do site:Notícias Concursos