domingo, 29 de agosto de 2021

Como aumentar o seu limite? Veja as principais dicas


 
Foto: Reprodução
O cartão de crédito pode ser um grande aliado nos gastos do dia a dia. Saber que você tem um limite disponível para cobrir gastos, parcelar compras ou te socorrer em uma emergência pode trazer tranquilidade e até ajudar a realizar algum sonho – desde que usado de forma responsável. Com isso, surge a tão famosa dúvida: como aumentar limite?

As instituições financeiras têm modelos de crédito que levam em consideração uma série de fatores: não só a renda de cada pessoa, mas também informações sobre seu histórico de crédito. Afinal, o limite nada mais é que uma linha de crédito pré-aprovada, ou seja, um empréstimo que a instituição libera para seus clientes.

A boa notícia: existem algumas ações que podem ser tomadas para ajudar seu perfil de crédito e melhorar as chances de aumentar seu limite.

Como o limite de um cartão de crédito é definido?
Para responder essa dúvida, é preciso entender como funciona um cartão de crédito. Na prática, o cartão de crédito é um empréstimo a curto prazo. A instituição te empresta um dinheiro que é dela, e você pode usar esse valor ao longo de um ciclo (geralmente de um mês). Ao final dele, é necessário pagar a emissora do cartão pelo que foi gasto. O limite do cartão é, portanto, o valor disponível para empréstimo que cada pessoa recebe.

E, assim como quando você empresta qualquer coisa a alguém, é importante ter confiança.

Nos bancos e demais instituições que fornecem crédito, essa confiança é medida por meio de análises de risco. É como se, antes de emprestar alguma coisa a alguém, você avaliasse se conhece essa pessoa bem o suficiente, se ela costuma devolver o que pega emprestado dos outros, e se faz um bom uso daquilo que emprestaram.

Idealmente, o limite que cada pessoa recebe corresponde à sua capacidade de pagar por esse “empréstimo” todos os meses. Mas nem sempre isso acontece – uma dívida no passado, ou a falta de informações sobre um cliente, por exemplo, podem prejudicar os valores recebidos.

Confira cinco dicas de como aumentar limite e entenda por que esse processo nem sempre é rápido.

Como aumentar seu limite do cartão? 
Não existe fórmula mágica. Antes de tudo, conseguir crédito tem a ver com o risco que você representa para a instituição que está te emprestando aquele valor. O mais importante é ter informações disponíveis sobre você e, principalmente, que essas informações sejam positivas. 

Algumas boas práticas são:

1. Mantenha sua renda atualizada
Os bancos e instituições financeiras precisam te conhecer para entender qual limite é compatível com as suas necessidades e quais as chances de pagar a dívida. 

Envie seu comprovante de renda mais atualizado para que a instituição consiga avaliar quanto consegue fornecer de crédito sem comprometer a sua vida financeira. Ao receber uma promoção ou mudar de emprego, não deixe de alterar os dados sobre o quanto você recebe mensalmente.

2. Pague sua fatura em dia
É muito importante pagar o total das suas faturas até o vencimento e evitar deixar valores em aberto.

Imprevistos acontecem, e as instituições oferecem possibilidades de pagamento para clientes que não puderem pagar suas faturas integralmente. Mas, sempre que possível, procure pagar o total dos seus gastos. Esse comportamento indica que você usa o cartão de maneira responsável e contribui para manter seu histórico positivo.

Se você perceber que não vai conseguir pagar a fatura do cartão, entre em contato com a sua instituição para tentar negociar. Pagar alguma coisa é melhor do que não pagar nada, e, muitas vezes, dá para fechar algum tipo de acordo com juros mais baixos do que os de atraso. 

3. Concentre seus gastos no cartão de crédito
Lembre-se de que as instituições que fornecem crédito precisam de informações sobre você. Para que isso seja possível, você precisa ter um histórico de crédito no mercado.

Se você utiliza vários cartões de crédito e quer aumentar o limite de um deles, centralizar todos os seus gastos no cartão prioritário pode ajudar a aumentar o seu limite pré-aprovado, já que a instituição vai entender que você tem explorado o limite disponível bem o suficiente.

Outra dica é usar o cartão de crédito até mesmo para aquelas compras menores do dia a dia: padaria, loja de R$ 1,99, banca de jornal… Sabe aqueles gastos pequenos que você tem quando sai para resolver algo na rua e acaba comprando uma coisinha ou outra? 

Essas compras, mesmo que menores, ao serem somadas, farão com que seu gasto total no cartão seja um pouco mais elevado. 

Só é importante lembrar de guardar o valor que você usaria para pagar essas compras. Assim, em vez de pagá-las na hora com o cartão de débito ou dinheiro, você paga com o cartão de crédito e depois usa o dinheiro guardado para pagar a fatura. 

4. Mantenha seu CPF sem restrições
Ao deixar de pagar alguma empresa por um produto comprado ou serviço prestado, essa empresa pode apontar o seu CPF nos órgãos de proteção ao crédito, como o Serasa e o Boa Vista SCPC. 

Quando isso acontece, você fica negativado, ou seja, com aquilo que é chamado de “nome sujo”. As consequências de estar negativado são variadas, mas a principal delas está relacionada a conseguir crédito.

Antes de fornecer crédito a alguém, as instituições normalmente consultam o CPF para analisar o risco que essa pessoa representaria. Caso seu nome esteja negativado por alguma pendência em outro lugar, muito provavelmente o crédito será negado – mesmo que você mantenha os pagamentos em dia no banco onde pediu um limite mais alto.

5. Construa um relacionamento
Às vezes, por mais que você tenha um ótimo comportamento e saiba que consegue arcar com despesas maiores, a empresa ainda não te conhece o suficiente para assumir um risco mais alto. Em outros casos, a demora para a liberação de um limite maior tem mais a ver com a capacidade de concessão de crédito da instituição do que com você.

Por isso, a dica extra é ter paciência para construir esse relacionamento com a sua instituição financeira. Aos poucos, as informações sobre o seu perfil de gastos vão sendo reunidas e você poderá ter um limite mais compatível com as suas necessidades.

Com informações do site: Blog Nubank