terça-feira, 3 de agosto de 2021

Auxílio emergencial 2022: quem tem direito à continuação


 


Foto: Reprodução
O auxílio emergencial 2022 pode ser realidade. O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) não descarta prorrogar o benefício até o ano que vem. A possibilidade de ser prorrogado mais uma vez se deve ao número de casos de covid-19 que ainda assolam o País. Para este ano, o Governo Federal já estendeu o auxílio em mais três parcelas.

Criado para socorrer famílias que perderam empregos em meio à pandemia da covid-19, o auxílio emergencial já foi prorrogado para 2021.

A expectativa de que o auxílio emergencial possa ser prorrogado até 2022 surgiu depois de um comunicado feito pelo presidente. Bolsonaro citou como possibilidade uma nova prorrogação do auxílio emergencial caso a pandemia não se estabilize.

A previsão anterior era de que o benefício terminaria em outubro de 2021, depois que o Governo Federal acrescentou mais três parcelas.

Valor da prorrogação do auxílio emergencial

Atualmente, o auxílio emergencial paga parcelas de R$ 150,00, R$ 250,00 e R$ 375,00, dependendo do perfil de família. Diferente do ano passado, quando foi lançado, o auxílio emergencial além de pagar menos também só pode contemplar um membro da família.

Em 2020, por exemplo, as parcelas eram de R$ 600,00 e mães solteiras recebiam até R$ 1.200,00. Para 2021, o Governo Federal diminuiu o valor e restringiu para apenas um benefício por família.

Ainda não se sabe que valores o Governo cogita pagar no ano que vem, se houver auxílio emergencial em 2022.

O provável é que seja um valor igual ou menor ao que é pago hoje, mantendo os mesmos critérios para ter direito ao auxílio.

Veja como ficaram os valores da prorrogação do auxílio emergencial 2021:

R$ 150,00: família composta por apenas uma pessoa;
R$ 250,00: família composta por mais de uma pessoa;
R$ 375,00: família chefiada por mulher, sem cônjuge ou companheiro, com pelo menos uma pessoa com idade menor de 18 anos.

Vai ter auxílio emergencial em 2022?

Para prorrogar do auxílio em mais três parcelas neste ano o Governo Federal já segurou ao máximo.

Apesar de confirmada a extensão do benefício em 2021, até agora a Caixa não divulgou o calendário de pagamentos.

Inicialmente, o Governo Federal não queria prorrogar o auxílio emergencial 2021, mas tendo em vista os novos casos de covid-19 e o atraso na vacinação da população adulta, cedeu à extensão.

Bolsonaro chegou a comentar que não vê a prorrogação do auxílio emergencial 2022 como algo “positivo”, isso porque o Governo queria focar no novo Bolsa Família.

A previsão é de que o novo Bolsa Família fosse lançado ainda este ano, quando o auxílio emergencial chegasse ao fim, depois do mês de outubro.

Quem terá direito à prorrogação do auxílio emergencial 2022?
Se aprovado para 2022, o auxílio emergencial deve seguir os mesmos critérios da concessão do benefício este ano. Para receber o auxílio emergencial em 2021 era necessário que o beneficiário já fosse contemplado desde o ano passado.

Além deste critério primordial, para continuar tendo direito ao auxílio este ano, você precisa:

Ter mais de 18 anos, com exceção de mães adolescentes;
Não ter carteira assinada nem receber nenhum benefício previdenciário, exceto do Bolsa Família;
Ter tido rendimento abaixo de R$ 28.559,70 referente ao ano de 2019;
Não ter patrimônio superior a R$ 300 mil;
Não tem direito quem teve CPF vinculado à pensão por morte.
Também será excluído do programa aqueles que por ventura foram contratados com carteira assinada, passaram a ter trabalho formal, ou se tornaram residentes, estagiários e bolsistas.

A prorrogação do auxílio emergencial em 2021 aconteceu sem que o Governo Federal abrisse novos cadastros. O Ministério da Cidadania seguiu pagando às famílias já cadastradas no CadÚnico em 2020.

Até quando foi prorrogado o auxílio emergencial?
O auxílio emergencial foi criado em 2020 para diminuir os impactos econômicos trazidos pela pandemia da covid-19 no País.

Inicialmente, o programa iria pagar apenas três parcelas, de março a maio de 2020. No entanto, como a pandemia seguiu fazendo um enorme número de vítimas, o Governo estendeu o benefício até dezembro.

Neste ano, a programação do Ministério da Economia era a de pagar o auxílio emergencial de abril até julho, o que dariam quatro parcelas.

Mais uma vez, diante da nova onda de casos e a demora no avanço da vacinação, o Governo prorrogou o benefício até outubro. Ou seja, em 2021 serão pagas sete parcelas no total.

Com informações do site: DCI