sexta-feira, 16 de julho de 2021

Vale abre cerca de 170 vagas exclusivas para mulheres e pessoas com deficiência


 
(Foto: Reprodução)
A Vale inscreve, até 23 de julho, para o seu Programa de Formação Profissional (PFP), realizado em parceria com o Senai, que capacita e qualifica pessoas acima de 18 anos para trabalhar em diversas áreas da empresa. Serão cerca de 170 vagas nos estados do Espírito Santo, Minas Gerais e Pará voltadas exclusivamente para mulheres e pessoas com deficiência. Os interessados devem acessar este site.

De acordo com a vaga, os candidatos precisam ter formação no ensino médio regular ou em cursos técnicos de nível médio. O período de aprendizagem teórica dura aproximadamente de 4 a 6 meses, e a aprendizagem prática ocorre nas instalações da Vale ou do Senai.

Mira Noronha, gerente global de Atração de Talentos da Vale, explica que o programa é a principal porta de entrada para cargos operacionais e técnicos na Vale:

— Queremos atrair e qualificar mulheres e pessoas com deficiência, porque estamos comprometidos em promover um ambiente cada vez mais diverso em que as singularidades de cada pessoa sejam valorizadas, e todos tenham igualdade de oportunidades para desenvolver seu potencial.

Conheça as regras do processo

O processo seletivo ocorrerá entre os meses de julho e outubro e será dividido em cinco etapas. As fases incluirão inscrições online; provas de conhecimentos online; entrevistas on-line em grupo; painel virtual com gestores; e exames médicos admissionais. A previsão é de que o início da formação aconteça em novembro.

Além de bolsa-auxílio, os selecionados receberão benefícios como vale atividade física (Gympass); reembolso de creche e pré-escola; e assistências médica, odontológica e farmacêutica.

Também terão acesso ao Apoiar, programa de assistência ao empregado que dá suporte jurídico, financeiro e psicológico; férias remuneradas; seguro de vida; vale-refeição ou refeitório no local de atuação; vale-transporte ou transporte no local de atuação; e vale cesta de Natal.

Com informações do site: EXTRA /O GLOBO