quinta-feira, 29 de julho de 2021

Ibaneis fala sobre retorno às aulas presenciais.


 


Foto: Reprodução
Secretaria de Educação deu hoje detalhes sobre o retorno às aulas presenciais na rede pública de ensino. Retomada será no próximo dia 2
Após a Secretaria de Educação dar detalhes sobre o retorno às aulas presenciais na rede pública de ensino, o governador Ibaneis Rocha falou nesta terça-feira (27) sobre a retomada. As escolas voltarão a receber alunos, professores e funcionários a partir do próximo dia 2.

Ibaneis afirmou que o GDF ouviu técnicos de saúde e de educação, além de pais e mães, para definir o retorno. “O DF foi o primeiro estado a proteger seus estudantes, fechando as escolas antes de todos os demais no começo da pandemia. Agora, retornaremos às aulas presenciais porque dialogamos e ouvimos tanto técnicos da saúde, como da educação e pais e mães”, escreveu o governador.

“O retorno às aulas é uma construção coletiva que leva em consideração todas essas demandas. 1 ano e 5 meses em casa, principalmente para as crianças menores, é um tempo grande. Por isso, vamos trabalhar para que o retorno seja não apenas seguro no que diz respeito à prevenção da pandemia como também recheado de acolhimento e afeto”, prosseguiu Ibaneis.

O chefe do Executivo local ressaltou a doação de máscaras e álcool em gel recebida pela Secretaria de Educação na última sexta-feira (23), “É mais um cuidado, que se une a tudo o que já preparamos, como reformas estruturais com mais espaços para higienização das mãos, estudantes com revezamento, distanciamento social e vacinação dos profissionais”, concluiu.

Datas

Em entrevista coletiva, a secretária de Educação, Hélvia Paranaguá, explicou que o retorno será escalonado e intercalado, sendo uma semana de aulas presenciais e uma de aulas remotas. Os dias 2, 3 e 4 serão de atividades pedagógicas e conversas iniciais para readaptar os alunos. No dia 5, retorna a educação infantil. Depois, ensinos fundamentável, médio, educação de jovens (EJA) e adultos e demais tipos de ensino.

Veja as datas:

-2, 3 e 4 de agosto: encontro pedagógico;
-5 de agosto: educação infantil;
-9 de agosto: ensino fundamental (1º ao 5º ano) e 1º segmento da EJA;
-16 de agosto: ensino fundamental (6º ao 9º ano) e 2º e 3º segmentos da EJA;
-23 de agosto: ensino médio e educação profissional e tecnológica;
-30 de agosto: demais atendimentos, como centros interescolares de línguas (CILs), centros de ensino especial.

Cada escola poderá flexibilizar horários de acordo com a realidade dos alunos daquela instituição. Os professores darão aulas para quem estiver presente na sala de aula durante quatro horas e, em seguida, dedicarão uma hora para aqueles que ficaram em casa. Durante esta hora de aula remota, a sala será higienizada para a chegada de outros alunos.

Com informações do site: JORNALDEBRASILIA, WILLIAN MATOS