domingo, 4 de julho de 2021

Estudantes de Brasília são selecionadas em universidades da Coreia do Sul


 
(Credito: Arquivo Pessoal)
A Embaixada da República da Coreia no Brasil oferece oportunidades para cidadãos brasileiros que desejam estudar no país. Trata-se de uma bolsa de estudos do governo chamada Global Korea Scholarship (GKS) para graduação e pós-graduação em universidades coreanas.

A recém-formada, Rute Ester, 21, é graduada em Relações Internacionais pela Universidade Católica de Brasília. A jovem diz que sempre quis ter a oportunidade de estudar e morar fora e por isso escolheu o curso de Relações Internacionais. Fez seu primeiro intercâmbio por meio de uma bolsa do governo americano e teve então a certeza de que queria fazer o mestrado fora do Brasil.


“Eu aprendi inglês sozinha, pois na época meus pais não tinham condições de me colocar em um curso de línguas, e hoje sou fluente. Lembro que, por não ter certificação da minha proficiência, tive medo de não passar na bolsa, mas felizmente eles analisaram minha fluência com base na entrevista e não em certificações", conta.

De acordo com a jovem, os pais são autônomos, e sem a bolsa GKS esse sonho de estudar na Coreia não se realizaria. "Espero que mais jovens como eu alcancem essas oportunidades e não sejam limitados por condições financeiras".

"Quando eu vi a oportunidade de me inscrever para a bolsa GKS, da Embaixada Coreana, eu não hesitei. Sempre gostei muito da Coreia do Sul e da cultura coreana, era a oportunidade perfeita. Lembro que pensei que não fosse passar, pois era minha primeira vez aplicando e por ser muito concorrida pensei que seria necessário tentar ano que vem. Mas graças a Deus, eu passei de primeira e deu tudo certo!", comemora a jovem que explica que o processo não é fácil.

“Foi um processo extenso, são três etapas. Eu me candidatei através do Embassy Track, junto à embaixada. Eram somente seis vagas para todo o Brasil e o prazo de envio dos documentos era pequeno, então tive que correr para providenciar tudo a tempo". São muitos documentos e cópias, é preciso redobrar a atenção nesse período, pois com documentação errada não é possível avançar para a próxima etapa.

Depois da fase de documentos, ela realizou uma entrevista com professores convidados pela Embaixada e com Diplomatas. A entrevista foi conduzida em inglês e nela ela precisou apresentar as motivações para estudar na Coreia e o porquê eu seria uma boa escolha.

"O resultado saiu pouco tempo depois e meu nome estava na lista de contemplados, fiquei muito feliz, mas ainda faltava a aprovação do NIIED, governo Coreano. O processo de aprovação do governo coreano demora um pouco, mas apesar da ansiedade deu tudo certo nessa segunda etapa", comemora.

A terceira etapa é a universidade, onde é decidido quais alunos serão aprovados. Eu fui aprovada na minha primeira opção a Hankuk University of Foreigner Studies em Seul. Com a bolsa, Ruth começará seu mestrado em e setembro de 2022, enquanto isso ela fará um ano de coreano na Chonnam National University.

A publicitária Ana Luisa Lesjak, 24 anos, foi a segunda selecionada do Distrito Federal. A jovem conta que desde o ensino médio já era encantada pela área da comunicação e pela mídia ocidental e cultura, foi então que conheceu o programa: “Logo comecei a fazer aula de coreano, porque eu queria estudar o máximo possível e entender melhor a língua tão linda deles. Foi nas aulas de coreano que, logo no primeiro semestre, a professora citou essa bolsa e eu fiquei interessada e fui pesquisar mais a respeito.


"Eu dei sorte por estar no começo da minha graduação quando conheci a bolsa, então depois de pesquisar bastante os requisitos e como era o processo, eu fiz um planejamento de três anos para melhorar o meu currículo acadêmico e profissional e aumentar as minhas chances de ser aprovada e conseguir a bolsa quando eu me formasse", diz Ana Luisa. A jovem conta que sempre fui estudiosa e teve notas boas na faculdade mas, durante esses três anos, o foco em conseguir a bolsa para fazer o mestrado na Coreia a motivou a participar de várias atividades extracurriculares.


"Passei três anos me preparando para conseguir essa oportunidade, então eu tive muito tempo para pensar bem a respeito do que eu quero estudar, de como é a cultura do país, as diferenças entre o Brasil e a Coreia", afirma. Ela fiz estar ciente de que a Coreia do Sul possui um modelo de estudos muito mais rígido que o do Brasil, mas o objetivo é se empenhar e focar na pesquisa. Ana Luisa quer honrar o investimento que o governo coreano está fazendo nela.

Assim como Ruth, Ana também fará seu mestrado em Media & Communication, na Ewha Womans University.


Ana em sua formatura do curso de Publicidade e Propaganda. (foto: arquivo pessoal)
Para quem ficou interessado, existem duas formas de se inscrever para o GKS — uma via Embaixada do seu país, e a outra via Universidade de sua escolha. Caso opte em fazer o processo com a Embaixada, você concorre apenas com candidatos brasileiros, pode escolher até três universidades e os documentos devem ser enviados até a sede em Brasília. Caso opte pela inscrição via Universidade, o candidato é obrigado a escolher apenas uma instituição e enviar os documentos solicitados para a sede, na Coreia, quando o processo for aberto. Existem diferenças de documentação, portanto, é preciso checar cada edital.

Para entender melhor o GKS e obter informações precisas sobre como enviar a sua candidatura, documentos necessários, datas, benefícios, universidades participantes, a Embaixada recomenda a leitura criteriosa dos editais anteriores, disponíveis no site: https://overseas.mofa.go.kr/br-pt/brd/m_22116/view.do?seq=761036

Se você sonha em conhecer a Coreia, a Embaixada da República da Coreia no Brasil, realizará o Festival República da Coreia, que terá formato de programa de TV exibido direto de um estúdio em Brasília para o canal oficial da Embaixada no Youtube ao vivo para todo o país. Neste ano, a apresentação fica a cargo da jornalista Rafaela Dornas e da escritora e produtora Babi Dewet, de 9 a 11 de julho, em um ponto de encontro virtual dos admiradores da cultura coreana e de todos que queiram conhecer mais sobre o país de tradição milenar, tecnologia e cultura pop.

Programação do Festival República da Coreia 2021
De 9 a 11 de julho, sexta a domingo.
- 9 de julho (sexta): das 15h às 20h30
- 10 de julho (sábado): das 11h às 17h
- 11 de julho (domingo): das 11h às 17h30

Cobertura interativa:

Com informações do site: Correio Braziliense