domingo, 18 de julho de 2021

Dicas preciosas para comprar a casa própria própria


 
Foto: Reprodução

Dicas preciosas para comprar a casa própria própria Quem está pensando em aproveitar o Feirão da Casa Própria precisa tomar alguns cuidados antes de fechar negócio. Começou o Feirão da Casa Própria da Caixa com a oferta de ofertará 180 mil imóveis novos e 6 mil empreendimentos retomados pela Caixa em todo o país.

Para quem está procurando imóveis para comprar, o feirão facilita bastante porque reúne várias ofertas de imóveis em um só lugar, mas é preciso ter cuidado porque uma decisão tomada sem que o comprador tenha se organizado financeiramente pode levá-lo a perder o tão sonhado imóvel mais pra frente.

O advogado especializado em Direito Imobiliário Marcelo Tapai diz que o consumidor pode entrar numa “verdadeira fria” ao fazer esse tipo de negócio por impulso. 

  “A falta de planejamento financeiro é um dos principais problemas que podem levar as pessoas a perderem o imóvel”

MARCELO TAPAI, ESPECIALIZADO EM DIREITO IMOBILIÁRIO

Tapai lembra que a lei nº 9.514/97, que trata da alienação fiduciária, é muito severa e não dá muita chance de negociação para os devedores. “Se o proprietário não conseguir pagar o financiamento, o banco pode tomar o imóvel e levar a leilão em poucos dias. Em tese, após 30 dias de atraso da primeira parcela, o banco já pode dar início ao processo de retomada do imóvel”, explica.

ESCOLHA O MENOR NÚMERO DE PARCELAS POSSÍVEL
undefined

O ideal, segundo Tapai, é comprar à vista ou com o mínimo de parcelas financiadas possível. Além disso, é preciso pesquisar muito antes, porque nem sempre os feirões têm negócios imperdíveis com boas ofertas.

Antes de assinar contrato, o especialista ressalta que é importante ter a certeza do quanto pode pagar por mês, considerando todas as outras contas fixas que já possui, inclusive empréstimos, financiamentos de veículos, além de eventualidades que podem ocorrer ao longo do tempo e prejudicar o rendimento familiar.

8 DICAS PARA QUEM NÃO QUER ENTRAR NUMA FRIA AO COMPRAR IMÓVEL
1) NÃO COMPRE POR IMPULSO
Só participe do feirão se tiver o objetivo claro de comprar o imóvel e, souber que tem condições financeiras para assumir o compromisso. Se for só olhar por curiosidade, tome cuidado para não fazer compra por impulso

2) FAÇA AS CONTAS
Faça as contas de quanto dinheiro tem para comprar o imóvel e também como vai fazer para pagar as parcelas caso não possa fazer o pagamento à vista. “Lembre-se de que, durante a obra, o saldo total é reajustado pelo INCC (Índice Nacional da Construção Civil) e, no financiamento após a entrega das chaves ou mesmo de imóveis usados, não se pode atrasar as parcelas”, diz.

3) ORÇAMENTO PRECISA TER UMA FOLGA PARA EMERGÊNCIAS
Para fechar uma compra com segurança, a renda familiar precisa ter uma folga, não pode ficar totalmente comprometida com a compra da casa nem com outros empréstimos e financiamentos. Se acontecer uma emergência, como ficar desempregado, passar por problemas de saúde, por exemplo, pode deixar de pagar o imóvel e perder a casa. “Ou seja, o dinheiro da parcela tem que sempre estar separado.”

4) NÃO COMPRE SEM VER
Nunca compre um imóvel sem conhecer a localização. “Procure saber se o local não é perigoso ou barulhento. Também é importante verificar a disponibilidade de transporte público, comércio e escolas próximos.”

5) SAIBA DE QUEM ESTÁ COMPRANDO
Pesquise o histórico da construtora por meio de consultas do CNPJ no Procon, na prefeitura e no Cartório de Registro de Imóveis. “Isso pode evitar sérios problemas como construtoras que atrasam entregam de obra, ou mesmo que sequer entregam o que prometem.”

6) ATENÇÃO ESPECIAL COM IMÓVEL USADO
No caso de imóveis usados, consulte a matrícula e verifique se não existem ações contra o proprietário, além de dívidas que possam recair sobre o imóvel, como dívidas de condomínio e do próprio IPTU.

7) CUIDADO COM AS OFERTAS “IMPERDÍVEIS”
Não compre porque o vendedor disse que é uma oportunidade imperdível ou por ter um bom desconto. “Por trás disso pode estar um mico, como imóveis que não batem sol, que têm problemas estruturais ou que estão no térreo, ao lado de áreas comuns barulhentas.”

8) NÃO SE ESQUEÇA QUE EXISTEM OUTRAS CONTAS PARA PAGAR
Reserve cerca de 5% do valor total do imóvel para pagar custas de ITBI e registro de imóveis. Lembre-se também de que um imóvel na planta terá de ser mobiliado e um imóvel usado poderá implicar reformas. Considere estes gastos.

Com informações do site: R7 News.