terça-feira, 29 de junho de 2021

O fim do dinheiro como o conhecemos


 

Não se trata de bitcoin, mas de algo bem mais relevante: as moedas digitais emitidas por países. Elas têm a capacidade de mudar a economia global, conferir poderes orwellianos ao Estado e abrir um novo capítulo na história da humanidade. Entenda. 

Dinheiro de papel é como orelhão. Volta e meia você tropeça em algum e se pergunta por que isso ainda existe. Faz um tempo que é possível pagar tudo no cartão. Mesmo o termo “pagar com cartão” começa a virar força de expressão, já que um celular melhorzinho hoje faz as vezes daquele chip envolto em um retângulo plástico. O que ainda dependia de cédulas e troco, tipo dividir uma pizza, virou um Pix instantâneo e de graça. Dependendo da cidade, um ser humano normal consegue passar o resto da vida sem chegar perto de um caixa eletrônico. 

Nisso, estamos falando de duas formas de dinheiro: o “físico”, de papel, e o eletrônico, feito de bits. Mas isso está prestes a mudar. Está chegando uma nova classe de dinheiro – também eletrônico, mas diferente daquele que está no saldo do seu internet banking e alimenta seu cartão. Bancos Centrais mundo afora querem emitir “moedas digitais”. No lugar de real, e-real; dólar, e-dólar; euro, e-euro  yuan, e-yuan. O que é uma moeda digital? Bom, primeiro que não tem a ver com bitcoin e cia. Segundo, trata-se de algo que tem o potencial de acabar com o dinheiro comum e com os bancos, ao menos do jeito que a gente conhece hoje. 

Com informações do site: abril