quinta-feira, 17 de junho de 2021

Nada de Bolsa Família ou Auxílio Emergencial: Brasil tem cerca de 400 mil brasileiros desassistidos


 
Foto: Reprodução
O Brasil esteve por muito tempo no mapa da fome, situação que foi revertida a mais de 15 anos. Todavia, a pandemia da Covid-19 trouxe uma instabilidade para todos, gerando um crescente desemprego, e como consequência disso, aumentando o numero de pessoas na pobreza.

O Bolsa Família e Auxílio Emergencial poderiam ser uma solução temporária para estas pessoas. Entretanto, ainda existem muitos brasileiros que não recebem nenhum dos dois benefícios.

Atualmente estima-se que o Brasil possui no mínimo 423,3 mil pessoas que, mesmo comprovando serem de baixa renda, não recebem nenhuma assistência do governo Federal. Isso acontece, pois, a fila do Bolsa Família se encontra parada, funcionando apenas para o auxílio emergencial.

Se existe uma conclusão a respeito disso, seria em virtude de um aumento e ampliação do benefício, que foi anunciado desde o fim de 2019. Contudo, deixou em média 1,2 milhões de cadastros parados, apenas na espera de receber a transferência de renda, prevista para março, de acordo com as fontes da Folha de São Paulo.

Segundo Paulo Guedes, que é o atual ministro da Economia, o governo está estudando todos os cadastros realizados; contudo, a ideia ainda não saiu do papel. O mesmo pontua que está colocando todas as suas forças para caminhar com o auxílio emergencial 2021, e que está pagando a um total de 39,1 milhões de pessoas. Com isso, o mesmo ganha tempo para planejar o que fará com o Bolsa Família.

Pobreza no Brasil 2021
Segundo estudo divulgado em 22/04, pelo Centro de Pesquisas Macroeconômicas da Saint Paul-O’Oeus University, realizado nos Estados Unidos, o Brasil vai agregar 61,1 milhões de pobres e 19,3 milhões de extremamente pobres, devido ao menor valor quantidade de assistência de emergência este ano.

Até 2021, de acordo com os padrões adotados pelo Banco Mundial, são consideradas pobres, as  pessoas com renda per capita inferior a R $ 469 mensais ou US $ 5,50 por dia. Os extremamente pobres são aqueles que vivem com menos de R $ 162 por mês ou US $ 1,90 por dia.



Com informações do site: seucreditodigital