segunda-feira, 24 de maio de 2021

Tempo de serviço pode mudar parcelas disponíveis no seguro desemprego


 
Foto: Reprodução
Trabalhadores que desejam ter acesso ao seguro desemprego devem contabilizar suas jornadas de trabalho. Com os índices de demissão em alta, milhares de brasileiros passaram a recorrer aos benefícios trabalhistas para garantir sua sustentabilidade. No entanto, a concessão e quantia de parcelas variam de acordo com o tempo de serviço prestado.
O seguro desemprego nada mais é do que o pagamento de um benefício trabalhista para quando o cidadão é demitido sem justa causa.
Ele funciona como uma espécie de salário temporário, podendo ser concedido entre três e até cinco parcelas. Essa determinação, por sua vez, varia de acordo com o tempo de trabalho prestado.

Como saber a quantidade de parcelas do seguro desemprego?
A definição da quantidade de parcelas do seguro desemprego é variável. Para conceder o benefício o governo leva em consideração o tempo de serviço prestado e também quantas vezes ele já solicitou o seguro.

Para aqueles que são demitidos pela primeira vez, é preciso ter ao menos 12 meses de salário recebido durante 18 meses anteriores a data de sua demissão.
12 – 23 meses: 4 parcelas ou 24 meses ou mais: 5 parcelas
Já para quem irá fazer o segundo pedido, é necessário ter 9 meses durante os 12 meses imediatamente anteriores à data da demissão.

9 a 11 meses, receberá 3 parcelas;
12 a 23 meses, receberá 4 parcelas;
24 meses ou mais, receberá 5 parcelas
A partir da terceira solicitação, o cidadão tem que ter recebido salário nos 6 meses imediatamente anteriores à data da demissão.

6 a 11 meses, receberá 3 parcelas;
12 a 23 meses, receberá 4 parcelas;
24 meses ou mais, receberá 5 parcelas.
Valores do seguro desemprego em 2021
A concessão do benefício é feita com base no piso nacional em vigor. Para 2021, com o salário mínimo em R$ 1.100 o cálculo ocorre da seguinte forma:


Simule o valor de suas parcelas em nossa calculadora virtual.

Com informações do site: FDR