quarta-feira, 26 de maio de 2021

Técnicos do Governo querem criar novo auxílio temporário. Entenda


 
Foto: Reprodução
Esta vai sendo uma semana decisiva para o futuro do Auxílio Emergencial no Brasil. É que o Governo Federal está discutindo o que vai fazer com o programa em questão depois do seu fim. Enquanto algumas pessoas pedem a prorrogação, técnicos do Ministério da Economia tiveram outra ideia.

Eles querem que o Governo Federal crie um novo programa emergencial, que não seria o Auxílio, para funcionar a partir do mês de agosto. Assim, esse novo projeto funcionaria como uma espécie de ponte até que o Ministério da Cidadania deixasse o novo Bolsa Família pronto.

Funcionaria assim.

Abril – julho : Auxílio Emergencial.
agosto – ? : Novo programa social.
? – tempo indeterminado : Novo Bolsa Família.
De acordo com esses técnicos, a ideia é que esse novo programa social usaria os recursos do resíduo do próprio Auxílio Emergencial. Segundo o Ministério da Economia, o Governo vai ter algumas sobras dos pagamentos deste ano. Seria algo em torno de R$ 3 bilhões.

Além disso, o Governo também poderia usar a sobra dos pagamentos do próprio Bolsa Família atual. Juntando tudo, eles teriam cerca de R$ 10 bilhões para fazer os repasses desse programa novo. Na visão de parte do Ministério da Economia, isso seria suficiente.

Esses técnicos dizem que essa seria a melhor maneira de tentar seguir atendendo a população mais carente, sem a necessidade de pegar mais dinheiro dos cofres públicos. Ao todo, o Governo pretende gastar até, no máximo, R$ 44 bilhões com os pagamentos do Auxílio Emergencial.

Valor do programa novo
Vale lembrar que essa ideia dos técnicos ainda está em fase de esboço. Então não dá para saber ainda vários detalhes desta proposta. O que se sabe, porém, é que o novo programa seria mais enxuto do que o atual Auxílio Emergencial do Governo Federal.

Hoje, o benefício paga parcelas que variam entre R$ 150 e R$ 375. Vários setores da sociedade criticam esse patamar de pagamentos todos os dias. No entanto, o fato é que esses repasses poderiam ficar ainda menores em um cenário desse possível novo programa.

Isso muito provavelmente acabaria levantando ainda mais críticas das pessoas que estão recebendo esse benefício. Pela cotação atual, se sabe que esse dinheiro não é suficiente para comprar nem uma cesta básica nas principais cidades do país, como São Paulo e Rio de Janeiro, por exemplo.

Novo Bolsa Família
O fato é que há uma certa confusão sobre o futuro do Auxílio Emergencial no Brasil. Recentemente, o Ministro da Cidadania, João Roma, disse em entrevista que o novo Bolsa Família estaria pronto no próximo mês de agosto. E de acordo com ele, o projeto aumentaria de tamanho.

No entanto, os técnicos do Ministério da Economia acreditam que precisam fazer essa ponte entre o Auxílio e o novo Bolsa Família. Isso leva a crer portanto que a reformulação do benefício não estará pronta até o próximo mês de agosto, como o Ministro prometeu que aconteceria.

Enquanto não resolve isso, o Governo segue com os pagamentos do benefício atual. Nesta semana, os repasses do segundo ciclo seguem tanto para os informais como para as pessoas que estão recebendo via Bolsa Família.

Com informações do site: Notícias Concursos