quarta-feira, 26 de maio de 2021

Suco de laranja e café podem ser extintos com seca e baixa na produção do Brasil


 
Foto: Reprodução
No ano de 2020 o clima no Brasil passou por algumas dificuldades com a estiagem e o calor, fatores que afetaram diretamente a produção de café e laranja. Embora o acontecimento já tenha algum tempo, os efeitos serão vistos agora, durante a colheita das safras de 2021.

Conforme apurado, a produção de café no Brasil poderá ter uma queda na margem de 40% se comparado ao período anterior. Os dados são da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural de Minas Gerais. 

A produção de café e laranja é predominante na cultura do Estado de São Paulo. Somente em 2019, foram recolhidas 190,4 mil toneladas de grãos de café, os quais foram capazes de movimentar cerca de R$ 2 bilhões, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O cenário negativo não será diferente com a produção da laranja, que terá uma queda de, aproximadamente, 30% sobre a safra referente ao período de 2019 e 2020.

Este percentual corresponde a 269 milhões de caixas, segundo levantamento feito pelo Fundo de Defesa da Citricultura (Fundecitrus) no mês de janeiro de 2021. 

Para se ter uma noção da relevância da produção de laranja no Estado de São Paulo, em 2019 foram produzidas mais de 13 milhões de toneladas da fruta, o que equivale a 77%. Tamanha produção é necessária uma vez que o Estado é responsável por 96% da exportação do suco de laranja mediante a atuação de 13 mil citricultores. 

Para a economista da WTK Agro, “o povo paulista vem sofrendo com a falta de chuva nos últimos anos, o que começou a afetar a nova colheita. Por mais que possamos prever, infelizmente, essas condições são incontroláveis”, relatou ao lembrar que os produtores buscam por melhores condições na produção. 

No geral, toda essa situação que resultou na queda das produções de café e laranja são efeitos de uma combinação de quase cinco meses sem chuvas significativas junto a temperaturas até 4,4°C superior à média histórica. De acordo com o Fundecitrus, outro fator que agravou a situação foi a morte de um milhão de árvores devido ao estresse hídrico. 

Ao analisar a safra de 2020 e 2021, por exemplo, foi possível contabilizar 268,63 milhões de caixas de 40,8 quilos cada uma, com um volume inferior a 6,65% em relação ao período de maio do ano passado.

Os dados são provenientes de uma época anterior à inconstância no clima que prejudicou a produção de café e laranja em pomares de 12 regiões monitoradas pela Fundecitrus, sendo 11 em São Paulo e uma em Minas Gerais.

Com informações do site: FDR