sexta-feira, 28 de maio de 2021

Remuneração e benefícios: O que é e como implementar na sua empresa


 
Foto: Reprodução
A remuneração e benefícios para muitos profissionais são alguns dos principais pontos a serem levados em consideração para procurar novas oportunidades de emprego.

No entanto, existem diferentes tipos de remuneração aplicados no mercado, atualmente. Para os especialistas de RH, é um desafio e tanto identificar os mais apropriados e também os tipos de benefícios que vão fazer parte da composição de remunerações da empresa.

É por isso que vale a pena seguir com esta leitura.

A seguir, vamos explicar melhor o que significa remuneração e benefícios, e também expandir o assunto para a diferença entre salário e remuneração. 

Por fim, também vamos falar quais são os aspectos positivos de pensar nessa questão de maneira estratégica para valorizar o seu capital humano.

Remuneração e benefícios: o que é?
De certa forma, aqui estamos falando sobre ideias ideias que se completam.

A remuneração é tudo aquilo que contempla o valor investido nos seus funcionários.

Os benefícios, por sua vez, são benefícios complementares, como é o caso do plano de saúde, vale-alimentação, banco de horas, entre outros.

Todos eles, junto com o salário, formam a remuneração de um colaborador.

Qual a diferença entre remuneração e benefícios?
Embora um complemente o outro, remuneração e benefícios possuem conceitos diferentes. O primeiro tem a ver com a valorização do profissional, a partir do seu salário e também do pacote de benefícios da empresa.

É, portanto, todas as formas de retribuições para o funcionário. Enquanto isso, podemos dizer para aqueles que ainda não sabem o que são benefícios, que se trata de um pacote de vantagens oferecidas voluntariamente ou de acordo com as leis trabalhistas.

Dá para dizer que a remuneração, salário e benefícios são distintos, mas todos têm algo em comum, e quando salários e benefícios são somados, temos a remuneração completa do profissional.

Vamos ver de forma mais clara como isso funciona:
  • Salário é a simples retribuição em dinheiro em troca de uma mão de obra qualificada;
  • Remuneração é o conjunto de todas as formas de pagamento e/ou recompensas para os funcionários;
  • Benefícios são as facilidades e vantagens oferecidas aos colaboradores.
Mas, ainda falaremos adiante a respeito dos tipos de benefícios para funcionários e também alguns exemplos desses conceitos acima citados.

O que determina a lei sobre remuneração e benefícios?
Na lei trabalhista, a remuneração está presente no artigo 457 da CLT, que diz:

“Compreendem-se na remuneração do empregado, para todos os efeitos legais, além do salário devido e pago diretamente pelo empregador, como contraprestação do serviço, as gorjetas que receber”.

Com relação aos benefícios de uma empresa — também conhecidos como remuneração indireta —, existe grande variedade de alternativas, já que são representações pensadas de acordo com o perfil dos colaboradores — embora existam benefícios previstos em lei, como o 13° salário para os funcionários contratados em regime CLT, o FGTS e as férias remuneradas, entre outros.

Qual a importância de se ter um programa de remuneração e benefícios?
Quando se compõe um plano estratégico de remuneração e benefícios na empresa, todos saem ganhando.

O RH, por valorizar o capital humano, a gestão porque sabe que pode contar com o engajamento e o elevado nível de satisfação dos colaboradores –  o que pode aumentar a produtividade -, e os próprios profissionais da empresa, já que eles vão conseguir lidar melhor com os desafios do dia a dia.

É importante, contudo, que esse planejamento seja feito de acordo com dois pilares: a identidade da sua empresa e o perfil dos colaboradores.

Isso porque, de nada adianta pensar em benefícios que não se encaixam na rotina das pessoas.

Um exemplo interessante é o do auxílio-creche, se ninguém na empresa possui filhos ou pretende tê-los em curto ou médio prazo, qual o propósito desse benefício?

Daí, a necessidade em contar com um trabalho específico, que vá de acordo com a cultura organizacional, e  com o que os seus funcionários mais se familiarizem e busquem em suas respectivas rotinas.

Como implementar a política de remuneração e benefícios nas empresas?
Para avaliar a implementação de um bom programa de remuneração e benefícios, pense em alguns fatores-chave para o sucesso dessa missão.

Vamos apontar algumas considerações, logo abaixo!

Objetivos e metas
Analise o que vai ser alcançado com esse projeto. A remuneração e benefícios devem atender às carências dos seus profissionais, mas servem também para objetivos específicos da empresa.

Recompensas por metas, por exemplo, podem ser pensadas para uma melhoria em vendas. Assim como, treinamentos internos e cursos de capacitação podem ser definidos como uma forma de lapidar os talentos da empresa.

Tudo deve seguir, portanto, de acordo com uma linha bem definida de objetivos e metas.

Construa um plano de cargos e salários
Avalie o mercado e pesquise a concorrência. Eles são termômetros confiáveis do que vem sendo praticado com relação a remuneração e benefícios. 

Assim, é possível traçar um plano próprio que se diferencie do que vem sendo oferecido, e que seja capaz de se tornar um atrativo por si só.

Algo que, em curto e médio prazo, pode se converter em um poderoso instrumento para a atração e a retenção de talentos.

Analise o orçamento para o projeto
Cuidado com as soluções apresentadas de remuneração e benefícios, pois elas podem ser influenciadas negativamente pelo orçamento da empresa para isso.

Então, analise as demandas dos profissionais, calcule tudo de acordo com o orçamento previsto e faça ajustes antes de anunciar as medidas para toda a empresa.

Isso evita desgastes e garante que o projeto vá ser um sucesso desde o início.

Tipos de remuneração e benefícios
Quais os tipos de remuneração?
Vale falar, agora, dos principais tipos de remuneração do mercado, e que são popularmente adotados por empresas de todos os portes e segmentos de atuação. Confira, abaixo, quais são:
  • Salário direto: que é a remuneração combinada a partir das funções desempenhadas dentro da empresa;
  • Salário indireto (ou benefícios): que são as vantagens e conveniências oferecidas pela empresa, que podem ser gratuitas ou abonadas parcial ou integralmente;
  • Recompensas: que podem ser gratificações pontuais para o cumprimento de metas, por exemplo.
Vale apontar, contudo, que nesse plano de remuneração e benefícios existem muitas maneiras de gratificar os seus colaboradores.

A seguir, vamos tratar especificamente dos benefícios.

Quais os tipos de benefícios?
Existem diversos tipos de benefícios e que são, inclusive, classificados em categorias distintas. Vamos a eles:

Benefícios legais
Podem ser considerados os seguintes:
  • 13º salário;
  • Férias remuneradas;
  • Aposentadoria;
  • Seguro para prevenir-se contra acidentes de trabalho;
  • Auxílio-doença;
  • Salário-família;
  • Repouso semanal remunerado;
  • Salário-maternidade;
  • Vale-transporte;
  • Adicionais de insalubridade;
  • Jornada de trabalho noturno;
  • Horas extras.
  • Benefícios espontâneos
São as gratificações que podem ser adotadas de acordo com os interesses da empresa e de seus funcionários. Casos de:
  • Licença remunerada em caso de doença;
  • Seguro de vida em grupo;
  • Seguro saúde ou assistência médica /ou hospitalar;
  • Seguro odontológico;
  • Check-up médico periódico;
  • Refeições subsidiadas;
  • Cestas básicas;
  • Bolsas de estudos;
  • Estacionamento;
  • Auxílio funeral;
  • Empréstimo de automóvel para uso pessoal/profissional.
Existem muitos outros que podem ser mencionados e que, como dissemos, devem ser pensados quando estão alinhados com a identidade da empresa e com o perfil dos colaboradores.

Como o RH pode auxiliar na implantação de um sistema de remuneração e benefícios?
O RH tem participação ativa na implementação de um programa de remuneração e benefícios.

Afinal de contas, é por meio de um trabalho de gestão de pessoas qualificado que esse projeto é desenvolvido.

Vale apontar, contudo, que se trata de um trabalho coletivo. A gestão deve auxiliar, bem como os profissionais — quando ouvidos — garantir que a implementação transcorra da melhor forma possível.

Esse papel estratégico, então, é melhor qualificado quando segue algumas diretrizes. Veja quais são:
  • Faça um diagnóstico e pesquisa em relação à situação da empresa, identificando quais salários e benefícios estão abaixo, dentro da expectativa ou acima do que os colaboradores esperavam. Isso pode nortear as futuras decisões;
  • Converse com os colaboradores e entenda as necessidades deles;
  • Monte um plano de carreira para que todos sintam-se dentro das possibilidades de crescer, internamente;
  • Ofereça pacotes de benefícios flexíveis. Isso pode garantir ainda mais alinhamento ao perfil de cada profissional da empresa, melhorando o grau geral de satisfação.
Como o sistema de remuneração e benefícios ajuda na retenção de talentos?
Destacamos, acima, que o sistema de remuneração e benefícios é um complemento importante ao salário.

Assim, cria-se um clima organizacional positivo, de engajamento e satisfação, que se converte em motivação e produtividade no dia a dia.

Isso também reduz os custos diretos e indiretos com o turnover (a proporção de demissões e contratações em um intervalo de tempo), e valoriza a reputação da empresa.

Não é apenas a retenção de talentos que aumenta nesses casos, mas a atração de grandes nomes do mercado de trabalho é também uma realidade.

Como controlar a remuneração e benefícios dos colaboradores?
Uma forma indicada para ter esse trabalho sempre sob monitoramento, análise e ajustes, é por meio de sistemas de gestão online.

Eles ajudam a automatizar, apresentar informações em tempo real e a compreender o que tem surtido efeito, o que pode ser descartado e quais insights podem surgir desses indicadores.

Conclusão
Ao longo deste artigo, apontamos o quanto o programa de remuneração e benefícios pode trazer pontos positivos para toda a empresa.

Também, destacamos as diferenças entre salário, remuneração e benefícios, garantindo que o processo de implementação ocorra sem equívocos e outros imprevistos.

Vale destacar, por fim, que a execução de um trabalho desse porte é contínua e nós sempre trabalhamos para trazer dicas que vão ajudar no sucesso dos seus futuros planejamentos.

Com informações do site: Jornal Contábil