terça-feira, 25 de maio de 2021

Governo pensa em adiar lançamento do novo Bolsa Família


 
Foto: Reprodução

O Governo Federal está admitindo pela primeira vez a possibilidade de adiar o lançamento do novo Bolsa Família. A ideia inicial do Ministério da Economia era lançar esse projeto no próximo mês de agosto. No entanto, o contexto do país parece não colaborar com esse objetivo.

Portanto, fontes de dentro do Palácio do Planalto admitem que o melhor mesmo é seguir com os pagamentos do novo Auxílio Emergencial por mais quatro meses. Oficialmente falando, esse benefício deve fazer pagamentos até o próximo mês de julho.

No entanto, a situação da pandemia no país não melhorou e não está dando sinais de que vai melhorar.
A chegada da cepa indiana do novo coronavírus em Manaus fez com que especialistas ventilassem com mais força a possibilidade de uma terceira onda de contaminação no país.

Pesa também para essa possível decisão o fato de que o Auxílio Emergencial é mais abrangente do que o novo Bolsa Família seria. De acordo com dados do próprio Ministério da Cidadania, o benefício atual está pagando parcelas para cerca de 39 milhões de pessoas.

Em compensação, o novo Bolsa Família pagaria parcelas para, no máximo, 20 milhões de brasileiros. E isso considerando as opiniões mais otimistas do programa. O Ministro da Cidadania, João Roma, afirma que segue trabalhando no projeto nos últimos dias.

Novo Bolsa Família

A ideia da criação do novo Bolsa Família começou ainda na gestão anterior do Ministério da Cidadania. Sob o comando do então Ministro Onyx Lorenzoni, a ideia era criar um projeto que se baseasse no mérito das famílias. Assim, pessoas que merecessem mais, acabariam ganhando mais dinheiro do programa.

Como João Roma, a reformulação do projeto seguiu. Agora, no entanto, ele quer focar no aumento do tamanho do Bolsa Família. A ideia dele é fazer com que o programa pague parcelas maiores do que paga hoje em dia. De acordo com o próprio Presidente Jair Bolsonaro, seria uma média de R$ 250 por família.

Além disso, o novo programa contaria com mais gente. Hoje, ainda de acordo com o Ministério da Cidadania, o Bolsa Família atende cerca de 14 milhões de pessoas.
A nova versão poderia inserir mais brasileiros nessa lista. No entanto, não se sabe quantos seriam ao certo.

Prorrogação do Auxílio

No entanto, por mais gente que o novo Bolsa Família inserisse, ele não seria capaz de colocar todas as pessoas que saíssem do Auxílio Emergencial. Isso porque o orçamento do programa não permitira tal aventura. É justamente por isso que a maior parte do Governo prefere continuar com o benefício atual.

De acordo com informações de bastidores, o Ministério da Economia quer pagar mais quatro parcelas do programa. Assim, o Auxílio Emergencial iria durar até o próximo mês de novembro. Boa parte do Congresso está fazendo pressão justamente para isto aconteça.

Ainda não há uma confirmação por parte do Governo para essa história.
No entanto, membros do Palácio do Planalto consideram que só falta o Presidente assinar para confirmar isso. Dessa forma, o novo Bolsa Família só entraria em cena a partir do próximo mês de dezembro de 2021.

Com informações do site:  noticiasconcursos - Aécio de Paula