sábado, 1 de maio de 2021

Depois do Nubank, Conta Black quer acabar com desbancarizados do país


 
Foto: Reprodução
Infelizmente, até hoje muitas instituições negam o crédito às pessoas negras. Por que? Pelo preconceito de raça. Pessoas negras tem três vezes mais chance de ter o crédito negado, do que pessoas brancas. O empresário Sérgio All é um exemplo. Ele teve o crédito negado por ser negro. A partir disso, a criação da Conta Black foi uma forma do empresário lutar contra esse sistema opressor. A ideia agora, é acabar com as pessoas que não tem contas bancárias no Brasil.

Depois do Nubank, Conta Black quer acabar com desbancarizados do país
Na época, Sério era dono de uma agência de publicidade. Ao relembrar o caso, ele cita “eu sai de lá muito frustrado. Ao passar pela porta giratória na saída, disse: ‘eu vou abrir um banco’. Meu sócio, que na época era meu diretor de criação, apenas riu de mim. Era anos 2000, não existia fintech, nem democratização financeira. Mas eu comecei a mergulhar nesse universo”.

Atualmente, Sério e Fernanda Ribeiro, fundaram a conta Black. Entretanto, desse episódio de negativa, até a fundação da Conta Black, passaram-se quase 20 anos. Em 2017, a empresa finalmente saiu do papel, se tornando uma conta digital para pessoa física e jurídica, para as classes C, D, E.

Dessa forma, essa startup é a primeira conta digital, fundada por empreendedores negros. Atualmente, a Conta Black possui mais de 12 mil clientes, e mais 9 mil pré-aprovados. 

Além disso, Ribeiro explica os desafios da Conta Black: “A nossa pretensão é ter um portfolio grande de produtos e serviços que atenda a necessidade específica desse nosso público, que não tem acesso a muitos serviços financeiros”.

Entretanto, mesmo com toda a digitalização presente na atualidade, ainda existem 34 milhões de brasileiros (21% da população), que está desbancarizada. Dessa forma, para chegar até este público, a Conta Black está negociando uma nova rodada de investimentos.

Com informações do site: Seu Crédito Digital