terça-feira, 11 de maio de 2021

Denúncia de jornal faz oposição criticar valores do Auxílio Emergencial


 
Foto: Reprodução

Uma denúncia do jornal O Estado de São Paulo fez renascer a discussão sobre os valores do Auxílio Emergencial. Neste domingo (9), uma matéria afirma que o Governo do Presidente Jair Bolsonaro criou uma espécie de “orçamento secreto” que teria destinado mais de R$ 3 bilhões em emendas para a base aliada no Congresso. O Governo nega.

Essa denúncia foi o suficiente para fazer com que boa parte da oposição questionasse o uso desses valores no momento em que o país afirma que não tem dinheiro para bancar o Auxílio Emergencial. Em entrevistas, o Ministro da Economia, Paulo Guedes, vem dizendo que o país não pode gastar muito no momento. Por isso, está pagando valores menores no programa.

Nas redes sociais, o ativista Guilherme Boulos (PSOL-SP) disse que isso se trataria de um caso de “corrupção”. “Comprar apoio parlamentar ao invés de pagar vacinas e auxílio emergencial. Foi isso que Bolsonaro fez às escondidas com R$3 bi do orçamento. Corrupção e genocídio andam de mãos dadas nesse governo”, disse ele.

A companheira de partido de Boulos, Fernanda Melchionna (PSOL-RS), também comentou o caso. “Ele poderia ter comprado vacina, testes, kit intubação, pagado auxílio emergencial. Mas não, o que Bolsonaro faz com R$ 3 bilhões é comprar o Centrão. O tratoraço é mais um crime que entra pra lista do genocida”, disse ela.

Quem também comentou o caso foi Manuela D´ávila (PCdoB-RS). “Quantas vacinas poderiam ser compradas e quantas parcelas do auxílio emergencial poderiam ser pagas com o dinheiro que Bolsonaro destinou para seu orçamento paralelo?”, questionou ela.
Todos fizeram isso no Twitter. 

O que diz o Governo Federal

O Governo Federal vem se defendendo desde a publicação da matéria. De acordo com o Ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, tudo não passa de um exagero. Segundo ele, esse gasto é de conhecimento de todos e existiria desde 2019.

Em uma postagem no Twitter, ele disse que parte desse dinheiro teria ido para pessoas da oposição. Um deles, aliás, foi o Senador Humberto Costa (PT-PE). Costa é um dos senadores mais críticos ao Governo de Jair Bolsonaro. O pernambucano se defendeu dizendo que quem pediu esse dinheiro foi o então Presidente do Senado Davi Alcolumbre (DEM-AP).

“O que há é tentativa de construção de uma narrativa. A reportagem teve acesso aos documentos de indicação dos parlamentares da oposição, mas os ignorou. Qual o motivo?”, questionou o Ministro ainda na sua mesma postagem no Twitter. Veja abaixo:



Valor do Auxílio

De acordo com as informações oficiais, o Governo Federal tem hoje cerca de R$ 44 bilhões para os pagamentos do novo Auxílio Emergencial. Esse é portanto um valor muito menor do que o montante que o mesmo Governo tinha para usar nos pagamentos do programa no ano passado.

Por isso, os valores dos pagamentos este ano são menores do que os de 2020. No ano passado, aliás, o Governo chegou a pagar parcelas de R$ 1200. Hoje, ainda de acordo com as informações oficiais, o maior valor possível é o de R$ 375. E ele vai para as mães solteiras.

A diferença acabou levantando muitas críticas de partidos de oposição. Muitos deles, aliás, seguem fazendo campanha para aumentar esse montante para R$ 600. No entanto, o próprio Governo afirma que não tem dinheiro suficiente para fazer isso neste momento.


Com informações do site: noticiasconcursos - Aécio de Paula