quarta-feira, 26 de maio de 2021

Casa de câmbio e agência de turismo oferecem promoções com dólar para quem quer viajar


 
Foto: Reprodução

A pandemia do coronavírus e o dólar caro formam uma combinação que tem reduzido as viagens, em especial as internacionais.  Embora tenha passado por baixas recentes, a moeda americana é considerada cara, se comparada aos níveis em torno de R$ 4 de antes da pandemia.

No período mais recente, o dólar tem ficado próximo a R$ 5,30, patamar não muito diferente do estimado por analistas do boletim Focus para o fim do ano. As incertezas políticas e o risco fiscal, de descontrole das contas públicas, são apontados como causas para a alta.

Algumas facilidades adotadas pelo mercado, nestes tempos de crise sanitária, têm tornado menos dura a vida de quem não quer adiar o plano de viagem ao exterior. Algumas casas de câmbio passaram a oferecer promoções, como o parcelamento da compra de dólar em até 36 vezes no cartão de crédito, com custo adicional de 3% a 9% do valor. Outras agências estão negociando pacote de intercâmbio para países como Canadá e Estados Unidos com tarifas fixas, baseadas no dólar de 2020.




Na promoção da viagem, o congelamento do dólar

O diretor da agência de intercâmbio TravelMate, Eduardo Heidemann, diz que os custos do pacote de viagem para estudo negociado em sua empresa não estão sendo impactados pela alta do dólar. A TravelMate é uma das agências que oferecem tarifas de preços de 2020.

Mesmo assim, o que pode pesar um pouco mais no bolso do viajante são as refeições e os custos adicionais da viagem, alerta Eduardo Heidemann, diretor da agência. “E isso exige planejamento, com antecedência, muito tempos antes da realização da viagem. “

Ele diz que o congelamento de valor facilita a vida de quem planeja viajar ao exterior. E como a cotação da moeda flutua e não se sabe de qual será seu preço futuro, a dica, segundo o diretor da agência, é abrir uma conta corrente internacional, com baixo custo, referente ao Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), de 1,10%. “É uma maneira segura e facilitada, porque permite saques e compras com débito.”

Outra dica é que no planejamento feito com antecedência nele seja incluída também a compra antecipada, em pequenos lotes, de dólar, para que não haja sobrecarga financeira nem custos extras na viagem.

A compra aos poucos é vista como estratégia interessante porque propicia  a formação de uma reserva de dólares por uma média de preço que acaba ficando abaixo do valor corrente no mercado.

Com informações do site:  dci