sexta-feira, 28 de maio de 2021

Após pressão do Congresso, governo pode manter o auxílio emergencial


 
Foto: Reprodução
Adiante da pressão do Congresso, o Governo Federal pode prorrogar o auxílio emergencial 2021. A manutenção desse benefício deve ocorrer por mais alguns meses, diante do agravamento da pandemia no Brasil. Dessa forma, os planos de reformular o programa Bolsa Família vão ser adiados até pelo menos o fim deste ano.

Após pressão do Congresso, governo pode manter o auxílio emergencial
Devido ao aumento no número de casos da Covid-19, bem como a possibilidade de uma terceira onda da doença, a economia do Brasil continua em declínio. Sendo assim, o desemprego e a redução da renda familiar dos brasileiros tem crescido cada vez mais. 

Dessa forma, a pressão do Congresso fez com que o Ministério da Cidadania sugerisse o adiamento da alteração do Bolsa Família. Afinal, acaba sendo inviável elaborar e implementar um novo modelo do programa diante do caos em que o Brasil se encontra. 

Assim, para evitar o desamparo dos brasileiros ao final do pagamento das quatro parcelas do auxílio emergencial, a intenção é estender esse benefício até a remodelação do Bolsa Família. O programa busca apoiar, financeiramente, a população mais vulnerável do país, diante da pandemia. 

CPI da Covid
Ao buscar por possíveis falhas na atuação do Governo Federal no decorrer da pandemia, instaurou-se a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid. O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu iniciar as investigações em abril, após pedido dos senadores.

Os políticos afirmaram que a presidência da Casa não estava realizando a instalação da CPI conforme os critérios formais. De acordo com o presidente do Senado Federal, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), a demora ocorreu pela busca de um momento adequado para fazer a investigação.

Com informações do site: Seu Crédito Digital